Baila Comigo

Exibição:
18/10/1982 – 13/06/1983 (RTP 1)

Número de capítulos:
163

Produção:
Rede Globo (1981)

Novela de:
Manoel Carlos

Direção geral:
Roberto Talma
Paulo Ubiratan

Do romance entre Helena (Lilian Lemmertz) e Joaquim Gama (Raul Cortez) nasceram dois gémeos: João Victor e Quinzinho (Tony Ramos). Na hora de dar à luz, e uma vez que o envolvimento dos dois já estava definitivamente acabado, Helena acordou com Quim ficarem cada um com uma das crianças.

Por conseguinte, João Victor é criado por Quim e pela sua mulher, Martha (Tereza Rachel), sem que esta saiba das suas verdadeiras origens, enquanto Quinzinho cresce julgando ser filho legítimo de Helena e Plínio (Fernando Torres), o médico que fez o parto dos gémeos e que acabou por se casar com ela.

Em 1981, Quim e Martha vivem em Portugal. Para além de João Victor, os dois têm uma filha mais nova, Débora (Beth Goulart). É nessa altura que os quatro estão de regresso ao Rio de Janeiro, onde vive Helena. Antes disso, Quim comunica a Martha a sua decisão de passar os bens da família para o nome do filho. Ela reage muito mal, demonstrando não ter grandes escrúpulos ao revelar a João Victor que ele é adotado. Quando toda a família regressa de Portugal, João Victor entra em crise existencial e isola-se, acabando ainda assim por viajar para o Brasil pouco tempo depois.

Entretanto, Quim descobre que Caio (Carlos Zara), seu advogado, o enganava e acusa-o. Este revida, respondendo que, se alguma coisa lhe acontecer, denunciará à justiça as manobras pouco legais que ajudaram a enriquecer a família Gama.

Caio foi casado com Sílvia (Fernanda Montenegro), ex-atriz de teatro, e é pai de Lúcia (Natália do Valle), namorada de Quinzinho. O romance da filha não lhe agrada nada e isso é suficiente para que Caio contrate vários marginais para o espancarem. Porém, quem acaba por ser vítima é João Victor, ficando Caio surpreendidíssimo ao encontrar Quinzinho na companhia de Lúcia, sem uma única marca da agressão. Este e outros incidentes vão fazendo com que, aos poucos, várias personagens fiquem a saber da existência dos gémeos.

Porém, o encontro entre os dois será adiado por muito tempo. A par da verdade, Sílvia alerta Quim para o facto de Martha poder prejudicar João Victor no dia em que souber que ele tem um irmão gémeo. Isso não impede que, mais tarde, Quim passe para Quinzinho uma parte do seu património. Tomando conhecimento do sucedido, Caio declara-se seu inimigo e alia-se a Martha. Ao mesmo tempo, envolve-se com Paula (Susana Vieira), uma mulher fútil cujo marido, Mauro (Otávio Augusto), é obsessivamente ciumento. Tal ciúme desencadeia uma perseguição que culmina com um desenlace trágico na vida dos três: ao pilotar um avião, Mauro avista Caio com uma mulher e, julgando tratar-se de Paula, despenha-se contra os dois, acabando com a sua vida e com a do seu rival.

A história dos gémeos prossegue, mas, mesmo um sabendo da existência do outro, só nas últimas semanas da novela os dois se encontram cara a cara, dando início a uma grande amizade. Nos capítulos finais, João Victor casa-se com Mira (Lídia Brondi), que em tempos foi apaixonada por Quinzinho, enquanto este e Lúcia também oficializam a sua união no mesmo dia. Daí a um ano, Mira dá à luz dois gémeos…

Quinzinho e João Victor

Baila Comigo foi exibida pela RTP 1 à hora do almoço, com estreia no dia 18/10/1982. Nesse mesmo dia, à noite, a RTP 2 exibiu o primeiro capítulo da novela Cabocla.

Na TV Guia da semana de estreia, foi dado destaque à estreia das duas novelas. A capa refere que Tony Ramos dá vida a um bancário e a um médico. Contudo, se Quinzinho era efetivamente bancário, João Victor não era médico, mas sim empresário.

Tony Ramos, Raul Cortez, Beth Goulart, Cláudio Cavalcanti, Susana Vieira e Otávio Augusto deslocaram-se a Portugal para gravar algumas cenas dos primeiros capítulos.

Durante quatro dias, foram realizadas gravações em Lisboa, Estoril, Óbidos e Batalha.

Débora na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa
Paula e Mauro nas imediações do Castelo de São Jorge
Os personagens no Hotel Ritz, próximo à Praça Marquês de Pombal
Paula, Mauro, Guilherme e João Victor no Casino Estoril
João Victor e Quim no Mosteiro da Batalha

Estava previsto que Tereza Rachel viesse juntamente com a equipa. Porém, à última hora, a produção arranjou forma de gravar as cenas da personagem Martha em Lisboa num recanto dos estúdios, onde foram colocadas algumas peças de artesanato português. Com grande desgosto para a atriz, que já tinha as malas feitas para embarcar com os colegas…

Na história, a família Gama, composta por Quim (Raul Cortez), a sua esposa Martha (Tereza Rachel) e os filhos João Victor (Tony Ramos) e Débora (Beth Goulart) tinham vivido durante muitos anos em Lisboa. Aproveitando esse facto, Manoel Carlos introduziu na novela várias referências a Portugal. João Victor recitava Fernando Pessoa e, em certa ocasião, Martha delicia-se quando encontra ovos moles e pastéis de nata no frigorífico do filho…

Foi lançada uma coleção de fascículos dedicada à novela, que trazia também os resumos de Cabocla.

Também foi posta à venda, pela Agência Portuguesa de Revistas, uma versão romanceada da novela, da autoria de Eduardo Borsato. Curiosamente, não há notícia de que este livro tenha sido editado no Brasil.

A partir do dia 04/04/1983, a RTP 1 começou a transmitir a telenovela portuguesa Origens. Pela primeira vez, e durante três meses, tivemos em Portugal três telenovelas em exibição: Baila Comigo às 12:30, Origens às 20:30 e Cabocla às 22:30. Só quatro anos depois, em 1987, voltaríamos a ter mais de duas telenovelas por dia na televisão portuguesa.

Nos Açores, Baila Comigo foi exibida por volta das oito da noite, no lugar de Origens que, à data, não foi ao ar neste arquipélago.

Em 1998, a novela foi reposta na SIC, por volta do meio-dia, mas sem o êxito da primeira exibição. Como as audiências eram consideravelmente baixas, chegando a metade dos valores registados por outras novelas em reposição no mesmo horário, Baila Comigo passou para as 10 horas da manhã. Foram cortadas muitas cenas e a telenovela acabou mais cedo do que estava previsto.

Baila Comigo foi novamente reposta na SIC Gold, entre abril e outubro de 2001, mas desta vez sem cortes.

Apesar do grande sucesso das novelas de Manoel Carlos, o autor é por vezes criticado pelo facto das suas obras terem um número excessivo de personagens, fazendo com que vários deles acabem por ter pouco destaque. Baila Comigoparecia já padecer desse problema, já que alguns atores de peso ficaram insatisfeitos com os seus papéis:

– Cláudio Cavalcanti: “Foi um personagem que não me acrescentou nada, pelo contrário, só tive aborrecimentos. A não ser pelo facto da gente receber alguma coisa com isso, porque quando a novela é vendida para outro país, ganhamos um pouco mais”.

– Betty Faria: “Baila Comigo foi um fracasso para a minha carreira. No início da novela, eles prometeram uma maior dimensão do meu personagem, mas nada disso aconteceu. Tanto que, quando terminou, não consegui entrar mais numa academia de ginástica. Fiquei revoltadíssima. Só agora estou outra vez a fazer a minha ginástica”.

– Susana Vieira declarou que Baila Comigo não foi um dos seus melhores trabalhos e considerou o facto de essa ser a sua primeira novela a ser exibida em Portugal “uma lástima”, porque “tenho uma novela que já fez o maior sucesso em toda a América Central e do Sul, que é A Sucessora”.

Baila Comigo foi uma das poucas novelas brasileiras a fazer sucesso em França.

Mira Maia, a personagem de Lídia Brondi, é também o nome de um centro comercial na Maia (anteriormente designado por Vivaci Maia).

Partilhar:

Baila Comigo