Bia, a Pequena Feiticeira

Título original:
Bia, la Sfida della Magia (Itália)
魔女っ子メグちゃん
Majokko Megu-chan (Japão)

Exibição:
06/04/1990 – 19/04/1991 (RTP 2)

Número de episódios:
65 (Itália) | 72 (Japão)

Produção:
Toei Animation (1974/1975)

Versão portuguesa

Tradução:
Ermelinda Duarte

Som:
Paula Margarida

Vozes:
Adriano Luz – Choné / Gil
António Semedo – Cardoso
Cláudia Cadima – Bia
Ermelinda Duarte – Zeca / Olga
Fernanda Montemor – Ana
Helena Isabel – Nádia
Henriqueta Maya – Rita / Ema
Joel Constantino – Mário / Crá-Crá
Margarida Rosa Rodrigues – Lena / Furu

Direção (interpretação):
Ermelinda Duarte

Produtor:
João Mota

Bia e Nádia, duas jovens feiticeiras, são candidatas ao lugar de Rainha do País dos Feitiços e descem à Terra, onde exercerão o seu treino.

Bia e Nádia, as feiticeiras rivais

Bia é entregue aos cuidados de Ana, uma ex-feiticeira que se casou com um humano. Ana lança um feitiço sobre a sua família – o marido Paulo e os filhos Zeca e Lena – para que todos reconheçam Bia como membro da família Cardoso.

A família de Bia

Nádia é acolhida por Olga, que no passado também disputou com Ana o lugar de Rainha. Olga não se conforma por ter desistido desse propósito e vê em Nádia uma segunda oportunidade de realizar o seu desejo, estando disposta a tudo para vencer.

Nádia e Olga

Ao contrário de Bia, Nádia despreza os seres humanos. Apesar da sua aspiração desenfreada pelo trono e das influências de Olga, Nádia demonstra ser uma adversária honesta, chegando mesmo, em certas situações, a usar os seus poderes mágicos em favor de Bia. Afinal, embora sejam oficialmente rivais, ambas não conseguem descurar a sua condição de feiticeiras no mundo dos humanos…

Bia e Nádia

Para complicar ainda mais a vida de Bia, existe Choné, um investigador do País dos Feitiços, cuja missão é monitorar o treino das jovens feiticeiras. Com a ajuda da gata Furu e do corvo Crá-Crá, Choné faz uso de todo o tipo de truques para atrapalhar o treino de Bia.

Choné, Furu e Crá-Crá

Bia
Jovem feiticeira, candidata ao lugar de Rainha do País dos Feitiços. Com apenas 15 anos, é enviada à Terra, que será o seu campo de treino. Adapta-se facilmente à vida entre os humanos e é acolhida por uma família que adora.

Nádia
A antagonista da história. Ao contrário de Bia, é fria e odeia a vida na Terra. Contudo, embora seja sua rival na corrida ao trono, ajuda-a muitas vezes a resolver determinados problemas.

Ana
Encarregue de treinar Bia para ser a Rainha do País dos Feitiços, torna-se a sua mãe no mundo dos humanos. Em tempos, foi também candidata ao lugar de Rainha, do qual abdicou por amor.

Paulo Cardoso
Casou-se com Ana, fazendo com que esta desistisse de se tornar Rainha. Torna-se o pai de Bia na Terra. É empresário do mundo do espetáculo.

Zeca
Filho de Ana e Cardoso, adora pregar partidas, especialmente a Bia.

Lena
Filha mais nova dos Cardoso. Nunca se separa do seu martelo, para “dar na cabeça” a quem não se comporta devidamente.

Olga
É a mãe de Nádia na Terra. Há alguns anos, casou-se também com um humano, mas revela-se arrependida dessa decisão e, por esse motivo, quer a todo o custo que Nádia se torne a nova Rainha. Ao contrário de Ana, é desonesta e trapaceira.

Gil
Marido de Olga. Homem pacato, dedica-se à pintura.

Choné
Observador ao serviço da Rainha do País dos Feitiços. É bastante tendencioso e antipatiza com Bia, fazendo de tudo para atrapalhar o seu desempenho.

Furu
Gata que trabalha para Choné.

Crá-Crá
Outro aliado de Choné. Tal como Furu, mete-se constantemente em sarilhos.

Rita
Amiga de Bia na escola.

Mário
Rapaz da turma de Bia. Um pouco brutamontes, arranja sempre sarilhos com os colegas, especialmente com Bia.

Ema
Outra colega de Bia que surge mais tarde na história. Causa grande tumulto quando aparece, pois tem a estranha característica de fazer com que várias pessoas a agridam.

Satúrnia
Feiticeira do mal. Deseja tornar-se a Rainha do País dos Feitiços e, vendo em Bia um empecilho, tenta destruí-la.

Versão italiana

1. È arrivata una piccola strega
2. Noa, la rivale
3. Un mucchio di streghe
4. Casa dolce casa
5. Il trucco del secolo
6. Papà ha la vita dura
7. Bia si innamora
8. Taro, che odia tutti
9. Il legame dell’affetto
10. Avventuroso viaggio in pallone
11. Mano di strega
12. Cani e caos
13. Duello nella villa della magia
14. L’arpa fantasma
15. La ragazza di papà
16. Un tuffo nel cielo
17. Le due Bia
18. Amore nell’antico castello
19. Fantasmi in casa Giapo
20. Forza Milly
21. Chuk ex-strega
22. La pendola ipnotica
23. Il vestito rubato
24. Duello magico
25. Il segno dello scorpione
26. Una strana faccenda
27. La sfida alla montagna
28. L’ombra della strega
29. Fiori pericolosi
30. Le amiche streghe
31. Il cavallo bianco
32. La bambola della mamma
33. Le streghe gemelle
34. Aeroplani di carta
35. Un regalo di Babbo Natale
36. La gara più importante
37. È fuggito un orso bianco
38. La festa della neve
39. L’uovo dell’uccello di neve
40. L’età della ribellione
41. I pattini dell’amicizia
42. La fata di primavera e la strega d’inverno
43. Primavera in barca a vela
44. Canzone per una bambola
45. La canzone della girandola
46. La borsa volante
47. Chi vuole Tago?
48. Il ritorno di Gombei
49. Al cospetto della regina
50. I micetti smarriti
51. Chi è il colpevole?
52. Le carpe colorate volano nel cielo
53. Dov’è Gombei?
54. Il principe e il circo
55. L’uomo della pioggia
56. Un autobus per un mondo di magia
57. La stella azzurra di Tanabata
58. Rapi è un buon nuotatore
59. Un tram di sogno
60. Un ragazzo e una chitarra
61. Non si fanno le boccacce
62. Sigma l’alano
63. Un aquilone vola nel vento
64. Il contrattacco di Saturno
65. Arrivederci Bia

Episódios censurados

When do the stars fall into the sea?
Este episódio mostra a tentativa de suicídio de um jovem na linha do comboio.

The phantom boy
Nádia enamora-se de um rapaz que, vem-se a saber, está morto.

A baby’s fuss
A família Cardoso é “presenteada” com um bebé deixado à porta de casa. A mãe acaba por aparecer mais tarde, revelando que pensou em suicidar-se e, por não ter coragem de levar o bebé consigo, o entregou aos cuidados dos Cardoso.

The angel’s tear
Bia cruza o caminho de uma freira que nela vê semelhanças com uma menina que há anos morreu num incêndio e por cuja morte se sente culpada. No final do episódio, acontece um incêndio no convento e a freira abre mão da própria vida para salvar Bia.

Secret of the white lily
Bia tem uma nova colega com comportamentos bastante estranhos, entre os quais a necessidade de beber litros de água para se manter viva. Satúrnia aparece na sua casa e ordena-lhe que destrua Bia e Nádia. Após um duelo entre a garota e Nádia, em que esta sai vencedora, Bia presta-lhe auxílio e leva-a para casa dos Cardoso. Grata, durante um duelo entre Bia e Satúrnia (que roubou o colar mágico de Bia), a garota acaba por se matar para proteger Bia.

The girl in the rain
Mais uma história fantasmagórica, em que Zeca se relaciona com uma menina já morta.

Foggy morning paper, Tarou
Bia tem um sonho e, quando acorda, apercebe-se da existência de um nevoeiro muito denso. Quando olha lá para fora, vê o rapaz do seu sonho junto à caixa do correio, tudo levando a crer que ele está a distribuir jornais. Contudo, uma hora depois, Cardoso impacienta-se por, afinal, não estar nenhum jornal no correio. No dia seguinte, Bia conversa com o verdadeiro distribuidor de jornais e fica a saber que todos os jornais das redondezas estão a desaparecer. Afinal, é o rapaz do seu sonho que anda a recolhê-los. Mais uma história envolvendo suicídio.

Bia, a Pequena Feiticeira foi produzida no Japão em 1974/1975, sendo pois uma das séries de animação mais antigas vistas em Portugal.

Em Itália, a série foi exibida pela primeira vez em 1981, com o título de Bia, La Sfida Della Magia.

Esta versão contém apenas 65 episódios, contra os 72 originais. Alguns episódios foram censurados por conterem cenas potencialmente chocantes, nomeadamente suicídios. Outros contavam histórias um tanto fantasmagóricas, envolvendo na ação personagens que, vinha-se a descobrir, estavam mortos.

Versão japonesa
Versão italiana

Em Portugal, a série foi exibida pela primeira vez na RTP 2, entre 1990 e 1991. A RTP adquiriu a versão exibida em Itália, mas num lote de apenas 52 episódios.

No verão de 1992, foi reposta de segunda a sexta, nas manhãs da RTP 1 (de 06/07/1992 a 11/09/1992).

Nos primeiros episódios, o genérico foi exibido em italiano, sendo depois substituído pelo genérico português, adaptado desse original.

Esta versão, por sinal, fez bastante sucesso e quem viu a série, decerto, recorda até hoje o refrão:

b e a b e e ba be
b e i ba be bi
b e o ba be bi bo
b e u bu ba be bi bo bu

Segue-se um comparativo entre os nomes dos personagens nas três versões:

Meg

Bia

Bia

Non

Noa

Nádia

Mami

Mammy

Ana

Kanzaki-san

Giapo Kanzaki

Paulo Cardoso

Rabi

Rabi

Zeca

Apo

Apo

Lena

Kieran

Kilia

Olga

Omatsu-san

Gou

Gil

Chou-san

Ciosa

Choné

Frou Frou

Furufù

Furu

Crow

Cracrà

Crá-Crá

Roko

Roca

Rita

Boss

Boss

Mário

Emi

Emi

Ema

No início, Bia tem uma amiga “caixa de óculos”, a Rita. A partir do episódio 26, Um caso bicudo, esta é substituída por uma outra colega, Ema, cuja imagem de marca eram os dois novelos que ostentava na cabeça.

Rita e Bia
Ema e Bia

Lena, a irmã de Bia, sempre que queria chamar a atenção de alguém por um comportamento inadequado, servia-se de um martelo semelhante aos usados na noite de São João, na cidade do Porto.

Embora nada tivesse de perverso, Bia era uma protagonista com alguma dose de sensualidade e terá certamente feito as delícias de alguns jovens espectadores, despertando as suas fantasias sempre que aparecia em cena em trajes menores ou com o seu robe transparente.

Ao longo dos anos, a série inspirou alguns fãs mais criativos, sendo inúmeras as ilustrações que se encontram na Internet com Bia (e outras personagens femininas) em poses sensuais.

No Japão, simultaneamente com a série animada, foi editada uma manga em vários volumes.

A banda sonora foi lançada em CD, contendo grande parte dos temas instrumentais utilizados na série.

Por esta altura, em Portugal, era exíguo ou até mesmo inexistente o lançamento de produtos alusivos a desenhos animados, não obstante as séries serem estrondosos sucessos, como foi o caso desta e de Ana dos Cabelos Ruivos, exibida na mesma altura. Já em Itália, a título de exemplo, para além de uma caderneta de cromos da Panini, foi também publicada uma revista de banda desenhada.

O humor foi um dos pratos fortes desta série.

As amigas Bia e Laura, no episódio As duas Bias

Elogiar as dobragens feitas nesta altura é quase uma redundância, mas a de Bia, a Pequena Feiticeira é indubitavelmente uma das melhores. Os atores tiveram um enquadramento perfeito nos seus personagens. A direção de interpretação esteve a cargo de Ermelinda Duarte, que foi também responsável pela tradução.

Partilhar:

Bia, a Pequena Feiticeira