Brega & Chique

Exibição:
28/11/1988 – 27/07/1989 (RTP 1)
03/12/1988 – 29/07/1989 (RTP 2)

Número de capítulos:
173

Produção:
Rede Globo (1987)

Novela de:
Cassiano Gabus Mendes

Direção geral:
Jorge Fernando

Herbert Alvaray (Jorge Dória), advogado riquíssimo que trabalha para o Banco Central, descobre que está na falência e resolve desaparecer. Para não deixar rasto, simula o seu próprio suicídio, forjando um acidente de viação, e foge para a Suíça, onde, assumindo uma falsa identidade, se submete a uma cirurgia plástica com o intuito de ficar irreconhecível e gozar a vida com o dinheiro que lá tem depositado. Ciente de que deixará a família na miséria, resolve dar uma oportunidade à sua amante, a quem deixa um milhão de dólares no cofre de um banco. A única pessoa que sabe do plano é Montenegro (Marco Nanini), também advogado, que, embora não concordando com a tramóia, acaba por guardar segredo.

Após reconhecer um corpo com os objetos pessoais do marido, Rafaela Alvaray (Marília Pêra) começa a pensar na sua vida futura, uma vez que terá de trabalhar para se sustentar a si, aos filhos e à mãe. Ao mudar-se para um bairro modesto, conhece, por coincidência, Rosemere (Glória Menezes), a amante de Herbert, que está de malas aviadas para uma zona chique.

Rosemere e Rafaela

Passados alguns meses, Montenegro recebe a visita de um sujeito que não reconhece à primeira vista e cujo nome é Cláudio Serra (Raul Cortez). Na verdade, ele é nada mais nada menos que Herbert: após a cirurgia ele transformou-se em outra pessoa e pretende reaproximar-se das duas famílias sem que se saiba da sua identidade. Todavia, ao ser apresentado a Rafaela, defronta-se com os maiores insultos à sua memória. Rosemere, por seu turno, confessa-lhe que, como homem, Herbert era medíocre e, até Zilda (Nívea Maria), também sua amante e fiel amiga de Rafaela, não tem qualquer escrúpulo em dizer todos os horrores que se lembra do “falecido”.

Aparece então um inspetor do Banco Central, Bellotti (José Augusto Branco), a afirmar que Herbert está vivo, uma vez que o sapato do cadáver encontrado no automóvel acidentado não podia ser dele. A acrescentar, existe o facto do dinheiro depositado numa conta da Suíça ter sido levantado logo após a sua morte. Mesmo não sendo muito inteligente, ao fim de alguns meses, Bellotti acaba por ligar as peças e revela que Cláudio e Herbert são a mesma pessoa, causando um desmaio coletivo a Rafaela, Rosemere, Zilda e Montenegro.

Herbert, vendo-se entre a espada e a parede, resolve fugir e tem uma conversa definitiva com Rafaela, que não lhe perdoa todas as traições. Na véspera da fuga, porém, tem um enfarte e morre. Montenegro, então, procura a viúva e diz-lhe que todo o dinheiro de Herbert se encontra em seu nome. Os dois resolvem dividi-lo em partes iguais: uma para ela, outra para ele, outra para Zilda e outra para Rosemere, que se encontra na falência após ter confiado no talento desastroso de Cláudio para lhe administrar o dinheiro. Uma quinta parte fica destinada a uma instituição de caridade, já que Herbert havia enriquecido à custa dos necessitados.

Montenegro e Rafaela

Com a sua morte definitiva, Montenegro finalmente tem coragem para se declarar a Rafaela. Rosemere, entretanto, decide ficar a morar no bairro modesto onde vivia inicialmente e cede aos apelos do marceneiro Balthazar (Denis Carvalho), que, desde o início da trama, nunca desistiu de andar atrás dela.

Rosemere e Balthazar

Tal como aconteceu com as novelas anteriores, Brega & Chique era exibida de segunda a sexta, às 12:15, e aos sábados, a partir da uma da tarde, repetiam os capítulos apresentados durante a semana. Assim, esta novela obteve um sucesso semelhante a Cambalacho ou Selva de Pedra, tendo ficado na memória dos telespectadores sobretudo devido aos diálogos humorísticos interpretados por Marília Pêra, Glória Menezes, Marco Nanini, Raul Cortez e outros.

Esta foi a primeira obra de Cassiano Gabus Mendes a passar em Portugal, embora, posteriormente, viessem a ser vistas Ti-ti-ti (em 1990) e Plumas & Paetês (em 1992). A direção esteve a cargo de Jorge Fernando, que a TV Guia, na reportagem da apresentação, identificou como o realizador das telenovelas de Sílvio de Abreu.

Enquanto Brega & Chique era apresentada, Marília Pêra aparecia simultaneamente em outra produção, O Primo Basílio, que ia ao ar às quartas-feiras à noite.

Marília Pêra em O Primo Basílio

Tato Gabus, José Augusto Branco, Patrícia Pillar e Neuza Amaral podiam também ser vistos em Sinhá Moça, que passava diariamente ao final da tarde.

A atriz Neuza Amaral, por sinal, que interpretava um papel bastante popular em Brega & Chique, confessou ao jornal Se7e ser apaixonada pelo Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Manuel Vaz da Silva. O autarca era padre católico, embora não exercesse o ministério.

Na sua qualidade de vereadora da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Neuza Amaral conseguiu um acordo de geminação para as duas cidades, expresso no Projeto de Lei 55/89 (da CMRJ), publicado em 27/06/1989, exactamente um mês antes de ir ao ar entre nós o último capítulo da telenovela.

Beatriz Costa, não obstante a sua língua afiada para criticar a televisão, lamentou não ter oportunidade de assistir a Brega & Chique, devido ao horário. No seu livro Eles e Eu, apontou ainda alguns elogios a Marília Pêra.

Essa grande artista é filha de Manuel Pêra, um belíssimo ator português que ficou no Brasil. Marília está cá numa telenovela, que me dizem ser boa, mas que eu não posso ver, por ser vista numa hora difícil… Meio-dia! Para ver Sinhá Moça tenho de me virar do avesso…

Curado Ribeiro foi outra figura pública a confessar-se fã da telenovela de Cassiano Gabus Mendes.

Nos últimos meses de exibição, foi lançado um single com quatro temas de Brega & Chique. Porém, devido a um lapso, o último tema, Coração Adolescente, não faz parte da banda sonora. Na verdade, é Coração de Jovem a música que consta do LP vendido no Brasil e que passava diversas vezes nas cenas da telenovela.

ATÉ O FIM – Verónica Sabino
SINTO SAUDADE – Evandro Mesquita
É TÃO BOM – Luiz Caldas
CORAÇÃO ADOLESCENTE – Erasmo Carlos

Sem Peso e Sem Medida, tema interpretado por Fábio Jr., foi também lançado em single.

Partilhar:

Brega & Chique