Chuva de Maio

Exibição:
30/04/1990 – 04/06/1990 (RTP 1)

Número de episódios:
06

Argumento e texto:
Zé Arantes

Edição de texto:
Rosa Lobato de Faria

Música original:
Mário Laginha
Thilo Krasmann

Letras:
Rosa Lobato de Faria

Direção de produção:
Thilo Krasmann

Realização:
Paula Pacheco

Elenco:
Alfredo Azinheira – Eduardo
Ana Luís – Joana
André Parente
António Pinto Basto – Rodrigo
Carlos Santos – Cardoso
Carmen Dolores – Teresa
Curado Ribeiro – João Mendes Sobral
Eduardo Parente
Fernanda Figueiredo – Noémia
João Baião – Miguel
Joel Branco – revisor
Laura Soveral – Malu
Margarida Carpinteiro – Mariazinha
Maria João Lucas – Marta
Michel de Roubaix – Michel
Norberto de Sousa – Fernando
Patrícia Tavares – Fátima
Sandra Nobre – Mariana
Sofia Brito – Sara
Teresa Miguel – Naná
Zé Arantes – Luís Filipe

Numa quinta do Alentejo, Mariana (Sandra Nobre) vive oprimida pelo pai, João Mendes Sobral (Curado Ribeiro). Num momento de desespero, vende as suas jóias e, com a ajuda do irmão Miguel (João Baião), foge para Lisboa, para casa da sua tia Mariazinha (Margarida Carpinteiro).

Em Lisboa, Rodrigo (António Pinto Basto), viúvo, vive constantemente entre o conflito da sua solidão e os problemas ligados à educação da sua filha Sara (Sofia Brito). Cansado dos ataques de rebeldia da primogénita, decide deixá-la uns dias na província, na casa da avó Teresa (Carmen Dolores).

No caminho de volta, Rodrigo presencia um acidente sofrido por Mariana na estrada, e resolve ajudá-la. É o início de uma história de amor com alguns percalços, mas com final feliz.

Rodrigo de Freitas (António Pinto Basto)
Decorador de interiores, desempregado. Viúvo há mais de um ano, vê-se a braços com a criação da filha, Sara. Sente-se culpado pela morte da mulher, que aconteceu num acidente de viação em que ele era o motorista.

Sara (Sofia Brito)
Filha de Rodrigo. Não reagiu bem à morte da mãe e, aos 9 anos, está a atravessar uma fase complicada de rebeldia, não aceitando que o pai tenha uma nova namorada.

Fernando (Norberto de Sousa)
Advogado, amigo e conselheiro de Rodrigo.

Teresa (Carmen Dolores)
Mãe de Rodrigo. Viúva, vive na província, onde tomou conta dos negócios da família após a morte do marido.

Joana (Ana Luís)
Bailarina profissional. Namorada de Rodrigo, é maltratada por Sara quando ele a leva a sua casa. Mais tarde, envolve-se com Miguel.

Marta (Maria João Lucas)
Mulher de Rodrigo, morta num acidente de viação. Aparece apenas em flashback.

João Mendes Sobral (Curado Ribeiro)
Homem austero, proprietário de uma herdade no Alentejo. Exerce total controlo sobre os cinco filhos, especialmente sobre Mariana.

Malu (Laura Soveral)
Casada com João, a quem é totalmente submissa. Procura promover a paz no seio familiar, amenizando as constantes desavenças entre o marido e os filhos.

Mariana (Sandra Nobre)
Filha de João Mendes Sobral. Não suporta a autoridade excessiva que o pai exerce sobre ela e, cansada dessa opressão, decide fugir para Lisboa.

Miguel (João Baião)
Irmão preferido de Mariana. Ajuda a irmã a fugir de casa e, pouco tempo depois, resolve seguir o seu exemplo, enfrentando a autoridade do pai.

Eduardo (Alfredo Azinheira)
Irmão mais velho de Mariana. Não faz nada a não ser andar agarrado à bebida.

Maria da Conceição – Mariazinha (Margarida Carpinteiro)
Irmã de João Mendes Sobral. Mora em Lisboa, sem contacto com a família do Alentejo, pois não se dá bem com o irmão. Leva uma vida um tanto excêntrica, rodeada de artistas.

Luís Filipe Amaral (Zé Arantes)
Jovem artista do grupo de Mariazinha. Encanta-se com Mariana.

Naná (Teresa Miguel)
Cantora contratada por João Mendes Sobral para, a pretexto da decoração de um apartamento, seduzir Rodrigo.

Cardoso (Carlos Santos)
Homem de confiança de João Mendes Sobral, que o manda até Lisboa, para vigiar os filhos.

1. (30/04/1990)
Mariana passeia a cavalo na herdade dos pais no Alentejo. Durante o jantar, na presença da mãe e dos seus quatro irmãos, o pai tenta impor-lhe a sua autoridade. Mariana decide sair de casa e pede auxílio ao irmão preferido, Miguel. Entretanto, em casa de Rodrigo, em Lisboa, festejam-se os 9 anos de Sara, sua filha, extremamente mimada desde a morte da mãe. Sara tem um comportamento desajustado quando, no dia seguinte, o pai lhe apresenta Joana, com quem mantém uma relação. Rodrigo decide levar a filha para casa da avó, na província; já de regresso a Lisboa, é testemunha de um acidente que envolve Mariana.


2. (07/05/1990)
Na manhã seguinte ao acidente, Mariana acorda no quarto dum hospital de província e vê Rodrigo, que ela não conhece e que passou a noite ao seu lado. Ao saber que avisaram os pais, foge pela janela e envolve Rodrigo nessa aventura. Na impossibilidade de ficar em casa da tia Mariazinha, que se ausentou de Lisboa, inicia um romance com Rodrigo. O pai de Mariana resolve, porém, afastar os enamorados e contrata Naná para, a pretexto de decorar um apartamento, seduzir Rodrigo.


3. (14/05/1990)
Mariana, desiludida com Rodrigo, vai viver para casa da tia Mariazinha. Esta, que tem uma vida um tanto excêntrica, acolhe-a com alegria e Mariana passa a fazer parte de um grupo de artistas que frequentam a noite. O seu preferido é Luís Filipe. Ao descobrir que Mariana é filha de João, Naná sente-se revoltada e decide contar tudo a Rodrigo. Miguel, depois de uma conversa com o pai, decide mostrar uma coragem idêntica à da irmã e sai de casa. Entretanto Sara e a avó começam a entender-se e a jovem consegue aceitar a morte da mãe.


4. (21/05/1990)
João Mendes Sobral exige que a irmã, Mariazinha, ponha Mariana na rua e ameaça fazer chantagem se ela não lhe obedecer. No entanto, por seu lado, Mariazinha dispõe de um trunfo valioso que pode incriminá-lo. Rodrigo e Miguel resolvem aceitar o trabalho que o seu amigo Fernando lhes arranjou para fazerem a decoração de um hotel. Mariana recusa-se a ver Rodrigo. A avó de Sara resolve que a neta deve regressar a casa. Mariana vai assistir à inauguração do hotel decorado por Rodrigo. No almoço da grande caçada anual que se realiza na herdade, João Mendes Sobral tem um ataque cardíaco quando é desafiado pela sua irmã Mariazinha.


5. (28/05/1990)
Rodrigo e Mariana reconciliam-se. Ela recebe o recado acerca do acidente do pai, que se encontra em estado crítico no hospital. Miguel habita o apartamento vazio, onde Naná seduziu Rodrigo e que é propriedade de João. Mariazinha sente-se culpada da doença do irmão. Mariana vai fazer companhia à mãe na herdade e Sara regressa a Lisboa. Miguel tenta convencer Joana, ex-namorada de Rodrigo, a ir viver com ele para o campo, o que se torna difícil, dado Joana ser bailarina. Rodrigo propõe casamento a Mariana.


6. (04/06/1990)
Desesperado, Rodrigo vai à procura de Sara. Esta, cheia de fome e de frio, foi recolhida pela cozinheira de um restaurante, que telefona para o apartamento de Rodrigo. Mariana atende a chamada e combina com a cozinheira fazer-se passar por amiga dela, acabando por conseguir convencer Sara a voltar para casa e mesmo a aceitá-la como noiva do pai. O casamento de Rodrigo e Mariana é celebrado na herdade e, apesar de todos os desentendimentos, João chega a tempo de dar os parabéns aos noivos. A abençoar a boda, cai uma grande chuvada de maio.

Exibida às segundas-feiras, durante o mês de maio de 1990, Chuva de Maio pretendeu ser uma série musical do agrado de toda a família. Em termos de conceção, era uma novidade, pois misturava a representação com a música e a dança.

A ideia base partiu de Thilo Krasmann e tinha como ponto de partida um homem solitário com a sua filha ainda pequena. A certa altura conheceria uma jovem que iria modificar a sua vida, despertando-o para o mundo que o rodeia. O desenvolvimento da ideia foi deixado ao sabor de Zé Arantes.

Para além do argumento, Zé Arantes foi responsável pela direção de atores, pela coreografia e ainda deu uma “perninha” como ator.

Zé Arantes com Sandra Nobre

As músicas foram cantadas pelos próprios atores, com exceção das de Mariana (Sandra Nobre), interpretadas por Paula Oliveira.

Os protagonistas eram inexperientes na representação, vindos de outros domínios da arte: António Pinto Basto do fado, e Sandra Nobre da dança.

Há, no entanto, algumas aparições curiosas a assinalar:

– Sofia Brito, integrante do grupo Onda Choc, como a menina Sara.

– Teresa Miguel, ex-Doce, no papel de uma cantora.

– Felipa Garnel como uma traseunte que agride Cardoso (Carlos Santos) após ser assediada por este.

– Rosa Lobato de Faria, responsável pelo texto final da série e pelas letras das canções, como a dona da boutique onde Mariana se emprega.

– Patrícia Tavares, com 12 anos, interpretando Fátima, uma menina da província.

– O acordeonista Michel de Roubaix, conhecido simplesmente por Michel, num número musical com Margarida Carpinteiro.

– Joel Branco como um “pica”, no comboio que leva Sara de regresso a Lisboa.

– Fazendo o papel do irmão mais velho de Mariana, Alfredo Azinheira, um dos membros do Duo Nevada, vencedor do Festival RTP da Canção de 1987, com o tema Neste Barco à Vela.

Logo após o episódio de estreia, a crítica mostrou-se implacável. A título de exemplo, o Expresso de 05/05/1990 comentava: “(…) um argumento que é uma sucessão comezinha de cenas mal organizadas com diálogos confrangedores, não tendo atores capazes (…)”.

Talvez antevendo as críticas, a RTP alterou o horário de Chuva de Maio, inicialmente marcado para as 22:00 e posteriormente alterado para as 23:00.

Outro motivo de controvérsia foram as “cenas íntimas”. A este respeito, declarou Sandra Nobre à TV 7 Dias: “Não acho que seja um pormenor inédito. (…) E não acho que tenha havido um “choque” para o público; por exemplo, a minha mãe achou mais estranho que a Mariana fosse de imediato para a cama com um desconhecido, do que as cenas de sexo em si”.

Partilhar:

Chuva de Maio