Ganância

Exibição:
19/03/2001 – 23/11/2001 (SIC)

Número de capítulos:
150

Autoria:
Lúcia Abreu (I)
Francisco Nicholson (II)

Colaboração:
Aloísio Filho (I)
Sara Rodrigues (I/II)
Vera Sacramento (I/II)
Lúcia Feitosa (II)
Paulo da Rosária (II)

Produção:
Alexandre Hachmeister

Realização:
Manuel Amaro da Costa
Nuno Vieira
Patrícia Sequeira

Elenco:
Afonso Lopes – António José (neto)
Alexandre Carvalho – Luisinho
Amílcar Azenha – Rodrigo Bello Menezes
Ana Rita Machado – Filipa
Artur Agostinho – Sr. Jorge
Carlos Santos – Sr. Joaquim
Carlos Vieira – Francisco
Catarina Furtado – Isabel Melo Gomes
David Almeida – Ladislau
Fernando Tavares Marques – Bispo Ludovico
Filipe Ferrer – António José
Francisco Nicholson – Cardeal Jericó
Grace Mendes – Esmeralda
Isabel Almeida – Sofia
Joana Figueira – Judite
José Boavida – Pedro
José Pinto – Anacleto
Leonardo Vieira – Rómulo Sá Marques
Luís Lucas – Fernando Miguel
Mafalda Vilhena – Maria Teresa (Tareca)
Magda Cardoso – Natércia Guerreiro
Marco Delgado – Hugo Paiva
Maria João Bastos – Joana
Maria João Luís – Margarida
Mário Gil – Amadeu
Marta Santos – Mariana
Mina Andala – Maída
Natália Luiza – Luísa Castro Bravo
Neuza – Anabela
Octávio de Matos – Sr. João
Oscar Magrini – Filipe (Bola)
Patrícia Tavares – Vera
Paulo Pires – Bernardo
Pepê Rapazote – Tiago
Rodrigo Menezes – Daniel
Rogério Samora – Luiz Manuel
Rosa do Canto – Lurdes Sousa
Rui Mendes – Tomás Segurado
Sandra Dias – secretária de Fernando Miguel
Sandra Roque – Mirita Dantas
São José Lapa – Maria do Carmo
Sara Gonçalves – Patrícia Sousa
Sofia Grillo – Xana
Susana Félix – Marta
Thiago Justino – Roberto
Valéria Carvalho – Renata Salles
Vítor Norte – Inspetor Sequeira

Participações especiais:
António Capelo – Luís
Carlos Lacerda
Carlos Sampaio – Alemão
Fátima Lopes (estilista) – a própria
Gonçalo Waddington – Fernando Miguel (jovem)
Herman José – o próprio
João Novo – Carlos
Jorge Cadete – o próprio
Mara Abrantes – mãe de Roberto
Paula Bobone – a própria
Paula Neves – Maria Amélia
Paulo Madeira – o próprio
Pedro Anjo – o próprio
Pedro Calvinho – Inspetor Neto
Roberto Candeias – Taborda
Rosa Castro André – Eugénia
Rui Veloso – o próprio
Sofia Nicholson – médica
Victor Espadinha – diretor do casino
Virgílio Castelo – François de Maurissens

Fernando Miguel (Gonçalo Waddington) e Maria Amélia (Paula Neves) conhecem-se e apaixonam-se em Itália. Ele é filho de uma família tradicional; ela é descendente de agricultores. Impressionados com a história da origem de Roma, prometem chamar Rómulo e Remo aos filhos, se algum dia tiverem gémeos.

De volta a Portugal com a companheira grávida, Fernando Miguel cede às pressões da família e abandona o amor da sua vida. Amélia vê-se obrigada a fugir de casa e, no meio de uma forte discussão com Fernando Miguel, entra em trabalho de parto. Nasce o primeiro filho; o pai da criança pega no bebé e sai à procura de auxílio. Instantes depois, recomeçam as dores, e Maria Amélia é recolhida por Anacleto, caseiro da quinta Bello Menezes, que a ajuda a dar à luz o segundo filho. Quando Fernando regressa, já não encontra Maria Amélia. Este pede a Anacleto que guarde segredo sobre o que viu, e foge para o Brasil com o filho, deixando o outro com o pai.

Vinte e cinco anos mais tarde, o destino dos gémeos, Rómulo (Leonardo Vieira) e Rodrigo (Amílcar Azenha), volta a cruzar-se. Rómulo é o bom da fita, que regressa do Brasil e, sem saber, emprega-se no restaurante do irmão. É aqui que conhece e se apaixona por Isabel (Catarina Furtado), noiva de Rodrigo. Pelo contrário, este é um autêntico vulcão de maldade. Obcecado e manipulador, sofre, no entanto, em silêncio, e é essa frágil faceta da sua personalidade que o torna no vilão da trama.

Contudo, e apesar das intrigas e dos desencontros, no final, o amor vence. No aeroporto, Isabel, grávida, aguarda ansiosa pelo homem da sua vida, que regressa de uma viagem ao Brasil. No momento do reencontro, ela entra em trabalho de parto e é levada para o hospital, onde dá à luz trigémeos.

Família Sá Marques

Rómulo Sá Marques (Leonardo Vieira)
Filho de Maria Amélia e de Fernando Miguel. Foi levado pela mãe para o Brasil, onde foi criado. É exímio praticante de capoeira. Aos 25 anos, vem viver para Portugal, empregando-se no restaurante do seu irmão gémeo, Rodrigo.

Maria Amélia Gouveia de Sá (Paula Neves)
Surge apenas em cenas de flashback. Proveniente de uma humilde família do Norte, conheceu Fernando Miguel em Roma e dele engravidou. Após dar à luz dois gémeos – Rómulo e Rodrigo –, fugiu para o Brasil levando Rómulo consigo.

Amadeu (Mário Gil)
Imigrante português no Brasil, onde se casou com Maria Amélia. Criou Rómulo como se fosse seu próprio filho.

Família Bello Menezes

Rodrigo (Amílcar Azenha)
Noivo de Isabel, por quem tem uma certa obsessão, embora não lhe seja fiel. Antipático e manipulador – o oposto do irmão gémeo, Rómulo –, é proprietário de um restaurante nas Docas, o Delicatessen, e de outros negócios (alguns menos lícitos). Não poupa nos desacatos e nas maldades para com todos os que o rodeiam, sobretudo o pessoal do restaurante.

Fernando Miguel (Gonçalo Waddington / Luís Lucas)
Filho de uma família tradicional portuguesa com brasão. Esteve em Roma a estudar, para fugir à Guerra Colonial, e lá conheceu Maria Amélia, a quem nunca esqueceu. Casou-se com Luísa por conveniência, tendo Rodrigo sido criado como filho legítimo do casal. É proprietário de uma herdade no Ribatejo, produtora de vinho.

Luísa Castro Bravo (Natália Luiza)
Mulher de Fernando Miguel. Sempre soube do amor do marido por Maria Amélia. Leva uma vida um tanto solitária, já que tanto o marido como o filho se dedicam apenas aos negócios. Para preencher o vazio, pensa em adotar uma criança. Cria com Margarida uma empresa que organiza festas e eventos na quinta.

Maída (Mina Andala)
Empregada da família Bello Menezes. É venerada por Luísa e tem uma paixonite por Rodrigo, apesar de ser constantemente humilhada por ele.

Luís (António Capelo)
Pai de Fernando Miguel. Surge apenas em flashback.

Família Melo Gomes

Isabel Melo Gomes (Catarina Furtado)
Jovem bonita e elegante. Noiva de Rodrigo, por quem não sente amor. Termina com ele quando se apaixona perdidamente por Rómulo. Finalista de Comunicação Social e apaixonada por ballet. Arregaça as mangas ao aperceber-se de que a família está falida e vive apenas de aparências.

António José Gomes (Filipe Ferrer)
Pai de Isabel. Perdeu toda a sua fortuna no jogo e, neste momento, vive numa mansão por especial favor de Rodrigo. Apesar disso, simpatiza com Rómulo, encorajando o seu romance com a filha.

Maria do Carmo Melo Gomes (São José Lapa)
Mulher de caráter duvidoso. Não perde a pose e continua a viver como se a família ainda fosse abastada. Enfurece-a a ideia de ter como genro um empregado de mesa. Trata Rómulo com desprezo, procurando descobrir algo que manche a sua reputação.

Margarida Melo (Maria João Luís)
Irmã de Carminho. É a pessoa mais divertida da família. Não gosta de Rodrigo e aconselha Isabel a não se casar com ele se não se sentir verdadeiramente apaixonada. Inicia uma carreira de empresária, numa sociedade com Luísa.

Maria Teresa – Tareca (Mafalda Vilhena)
Primogénita da família Melo Gomes. Fútil, superficial e mimada. Embora seja licenciada em História, o seu dia é passado a levar os meninos à escola e a fazer compras.

Bernardo (Paulo Pires)
É claramente o filho preferido de Carminho, que o trata como se ainda fosse uma criança. Dorme de dia e de noite sai com Rodrigo, que lhe sustenta os vícios. Egocêntrico, atraído pelo dinheiro, não olha a meios para obter o que deseja. Por vezes, demonstra ter alguma humanidade. É apaixonado por Joana.

Tiago (Pepê Rapazote)
Marido de Tareca. É engenheiro e trabalha para o Governo. Embora cinzentão, vive uma relação extraconjugal com Marta.

Pipa (Ana Rita Machado)
Filha mais velha de Tareca e Tiago. É snob e insuportável, um verdadeiro prolongamento da avó e da mãe.

Miana (Marta Santos)
Filha de Tareca e Tiago. Tem um temperamento doce como a da tia Isabel e adora o pai.

António (Afonso Lopes)
Filho caçula de Tareca e Tiago.

Sofia (Isabel Almeida)
Empregada da família Melo Gomes. Com a crise dos patrões, chega a trabalhar sem receber.

Família Guerreiro

Anacleto (José Pinto)
Nascido nos Açores, na ilha do Pico, veio para o Ribatejo trazido pelo pai de Fernando Miguel, tornando-se caseiro da propriedade e, mais tarde, braço-direito nos negócios da vinha. É a única pessoa que sabe da existência de Rómulo e, apesar de ser confidente de Fernando Miguel, não lho revela.

Joana (Maria João Bastos)
Filha de Anacleto, por quem sente um amor incondicional, já que foi abandonada pela mãe quando era ainda bebé. É relações públicas da discoteca de Rodrigo, por quem viva uma paixão platónica desde a infância.

Natércia (Magda Cardoso)
Mulher de Anacleto. Deixou Joana ao cuidado de Anacleto ainda criança, antes de partir para a Austrália, onde foi bem-sucedida. Reaparece, procurando saber notícias da filha.

Restaurante Delicatessen

Luiz Manuel (Rogério Samora)
O enigmático e sinistro braço-direito de Rodrigo. Sempre que necessário, ajuda-o nos “trabalhinhos sujos”.

Bola (Oscar Magrini)
Chama-se Felipe, mas em pequeno deram-lhe o apelido de Bola, por ser gorducho. Trabalha como garçon no restaurante de Rodrigo, onde conhece Rómulo, de quem se torna amigo e confidente. Depois de um conflito com o patrão, cria com Rómulo o seu próprio negócio, uma tasca no Bairro Alto. Vive um romance com Margarida.

Roberto (Thiago Justino)
Barman do restaurante. Encanta os clientes com a sua simpatia e os seus cocktails. Sonha ser músico.

Marta (Susana Félix)
Veio do Alentejo para Lisboa com o sonho de se tornar cantora. Emprega-se no restaurante como empregada de mesa, e lá começa também a cantar. De temperamento reservado, é amante de Tiago, mas ficará dividida entre ele e Luiz Miguel. Torna-se amiga de Marta, com quem divide apartamento.

Faculdade

Francisco (Carlos Vieira)
Colega de Isabel. É um bon-vivant para quem a universidade é um ponto de encontro com os amigos.

Daniel (Rodrigo Menezes)
Universitário, finalista de Comunicação Social, bem-nascido e sem dificuldades. Colega de Francisco e de Isabel. É surfista nos tempos livres.

Anabela (Neuza)
Colega e namorada de Daniel. Vive num ambiente familiar que deixa a desejar, lutando com todas as forças para se tornar independente dos pais que a sufocam.

IEDA

Tomás Segurado (Rui Mendes)
Antigo rival de António José (teve um caso extraconjugal com Carminho). Trata-se de um multimilionário que se autoexilou no Brasil após o 25 de Abril. Regressa a Portugal emanando poder, com o intuito de abrir uma filial da sua empresa, a Amazónia & Sado. Acumula as funções de empresário com as de bispo da IEDA (Igreja Espiritual do Divino Altar), cuja implantação deseja promover no país.

Renata (Valéria Carvalho)
Assistente de Tomás Segurado.

Mirita (Sandra Roque)
Assistente de Tomás Segurado.

Bispo Ludovico (Fernando Tavares Marques)
Bispo da IEDA, determinante na sua “evangelização”.

Cardeal Jericó (Francisco Nicholson)
Líder da IEDA. Vem a Portugal inspecionar os negócios da igreja, provocando o pânico de Tomás Segurado. É o marido desaparecido de Lurdes.

Ladislau (David Almeida)
Assistente de Jericó.

Esmeralda (Grace Mendes)
Assistente de Jericó.

Ambientalistas

Hugo (Marco Delgado)
Ambientalista revolucionário, bem conhecido na faculdade de Isabel. Acusa Tomás Segurado de ter planos secretos para implantar uma central nuclear em Portugal. Está disposto a impedir que o empresário concretize os seus intentos.

Patrícia Sousa (Sara Gonçalves)
Namorada de Hugo. Está a estagiar como jornalista. Tomás tenta contratá-la como forma de a impedir de fazer investigações. Diante da sua recusa, é sequestrada pelo empresário. Sente vergonha da mãe.

Lurdes Sousa (Rosa do Canto)
Mãe de Patrícia. É auxiliar de enfermagem e amiga de Natércia, que conhece durante os tratamentos de hemodiálise que esta faz. Não tem certezas quanto ao paradeiro do marido, que desapareceu sem deixar rasto.

Xana (Sofia Grillo)
Amiga de Isabel desde a infância. Conscienciosa e decidida, entra em conflito com as ideias da família Melo Gomes. Apoia Hugo na luta contra a central nuclear. Tem um namorico com Bernardo.

Polícia Judiciária

Sequeira (Vítor Norte)
Inspetor da Polícia Judiciária, faz marcação cerrada a Rodrigo e a Luiz Manuel. Fará par com Margarida.

Vera Aleixo (Patrícia Tavares)
Agente que colabora com o Inspetor Sequeira – têm uma relação de cão e gato. Com um estilo pouco feminino, sofrerá uma transformação no âmbito de uma investigação à IEDA.

Outros personagens

Pedro (José Boavida)
Colega de Tiago. Sente-se atraído por Tareca, aproveitando a sua separação do marido.

Luisinho (Alexandre Carvalho)
Vive num orfanato visitado por Luísa, que simpatiza com o petiz e pensa em adotá-lo. Despertará o interesse de Pipa.

Sr. Jorge (Artur Agostinho)
Reformado do Bairro Alto. Adepto do Futebol Clube do Porto. Passa a vida a discutir com João e Joaquim, embora sejam muito amigos.

Sr. João (Octávio de Matos)
Reformado do Bairro Alto. Frequenta a tasca. Faz parte do grupo de idosos inseparáveis.

Sr. Joaquim (Carlos Santos)
Reformado do Bairro Alto. O terceiro elemento do grupo de velhotes que frequentam a tasca.

Eugénia (Rosa Castro André)
Professora universitária, fetichista. Tem um envolvimento com Francisco, um dos seus alunos, acabando por ser expulsa da instituição, após serem apanhados em cenas menos convenientes.

François de Maurissens (Virgílio Castelo)
Conde francês rico e bonitão. Interessa-se por Margarida, despertando o ciúme de Bola.

Mafalda
Namorada de Francisco. Consumidora de cocaína, sucumbe a uma overdose na discoteca de Rodrigo.

Taborda (Roberto Candeias)
Advogado de Bernardo quando este é preso, acusado pela morte de Luiz Manuel.

Rafael
Advogado que defende Rómulo da acusação pela morte de Bola.

Ana Paula
Convidada por Rodrigo a substituir Joana, depois de a despedir.

Inspetor Neto (Pedro Calvinho)
Amigo de Fernando Miguel, a quem este recorre quando Rodrigo é preso.

Ganância marcou a estreia da SIC no ramo das telenovelas portuguesas. Até então, a estação utilizara as produções da Globo como grande trunfo na guerra pelas audiências.

Para que não se perdesse inteiramente o sotaque brasileiro, foi escolhido para protagonista Leonardo Vieira, que conhecíamos de telenovelas como Renascer e Sonho Meu.

Presentes no elenco, estavam ainda Oscar Magrini – que fizera grande sucesso como o personagem Ralf de O Rei do Gado – e Thiago Justino, que se encontrava a residir em Portugal.

Também a autoria tinha mão brasileira, a cargo de uma completa desconhecida, Lúcia Abreu, de quem pouco se sabia. Tinha sido jornalista da TV Globo, de onde fora despedida em 1992; mudara-se para Portugal no ano anterior (2000) e foi escolhida por Emídio Rangel depois de mandar o currículo e dois capítulos de novela para a SIC. Apresentava-se à imprensa como “discípula de Glória Perez”, autora de Explode Coração, novela na qual trabalhou como pesquisadora.

Do lado português, o destaque ia para a presença de Catarina Furtado, no seu primeiro grande papel em televisão, enquanto atriz.

Exibida inicialmente em horário nobre, que partilhava com a brasileira Porto dos MilagresGanância não obteve os resultados que a SIC desejava, não demorando muito para que fosse “despromovida” para a tarde.

Para além do público, também o elenco manifestou a sua insatisfação. Rogério Samora foi o primeiro a fazê-lo publicamente, criticando a trajetória do seu personagem: “Li até ao 80.º episódio da novela e percebi que já não resta nada do tipo meio psicopata que o Luiz Manuel devia ser. Não percebo o que a autora escreve, não vejo sentido nas ações da minha personagem e já não acredito neste projeto. Só quero que me tirem deste barco antes que se afunde por completo”.

Fez questão de frisar que não tinha qualquer problema com o restante elenco, mas única e exclusivamente com a autora, Lúcia Abreu: “Quando comecei a preparar-me para a novela, estive em casa dessa senhora a conversar sobre o Luiz Manuel. Trocámos ideias e fiquei com a sensação de que seria um trabalho interessante. Mas o tempo provou que ela não é competente como autora. A história de Ganância não tem ponta por onde se lhe pegue… nada daquilo se passa no Portugal dos nossos dias!”.

Samora ainda tentou um entendimento com a autora, mas não foi bem-sucedido: “Pedi-lhe que tivesse mais cuidado com as falas e as atitudes da personagem. Sabe o que ela me respondeu? ‘Você quer é protagonismo’. Passei-me por completo. […] E, quando as pessoas vêm ter comigo na rua e me dizem que não percebem nada da novela, fico com a certeza de que tenho razão. Alguém tinha de vir a público dizer isto. Pelos vistos, calhou-me a mim”.

Por fim, pediu o seu desligamento da novela: “Não posso despedir-me. Portanto, espero que me despeçam. Já mandei uma mensagem à autora pedindo que faça o Luiz Manuel desaparecer da história. Quero mesmo que me matem! Já não suporto isto”.

Também São José Lapa reconheceu ter sido forçada a “readaptar”, além de “mexer” na personagem que lhe coube.

Diante do descontentamento geral do elenco e também do público ­– com as audiências a confirmá-lo –, a SIC tomou a decisão drástica de demitir Lúcia Abreu. Coube a Francisco Nicholson a difícil missão de agarrar e consertar um argumento dito sem pés na cabeça, juntamente com Sara Rodrigues e Vera Sacramento, que trabalhavam com a autora brasileira.

Virgílio Castelo, na época diretor-geral da NBP, confirmou a situação: “A SIC e Lúcia Abreu tinham um contrato que terminou, assim nos foi comunicado; agora, resta-nos adaptar a máquina de produção ao desejo do nosso cliente, que é a SIC. A nossa obrigação é cumprir o melhor possível aquilo que a estação nos pede. Vamos trabalhar com o novo autor para o produto fique o mais próximo possível daquilo que a SIC pretende”.

Apenas cerca de um terço da novela foi escrito por Lúcia Abreu. Antes de ser despedida, a autora deixara mais 40 capítulos prontos, mas estes foram descartados. A novela passou, temporariamente, a ser exibida apenas ao fim-de-semana, para que fosse possível reescrevê-los.

Ao tomar as rédeas do enredo, Francisco Nicholson introduziu cerca de uma dezena de personagens. O principal deles foi Tomás Segurado (Rui Mendes), líder da IEDA (Igreja Espiritual do Divino Altar), que passou a centralizar uma parte significativa da trama.

Reforçaram ainda o rol de personagens: Hugo (Marco Delgado), Patrícia (Sara Gonçalves), Lurdes (Rosa do Canto), Natércia (Magda Cardoso), Xana (Sofia Grillo), Sequeira (Vítor Norte) e Vera (Patrícia Tavares).

Marco Delgado e Sara Gonçalves, dois dos novos intérpretes

Susana Félix, Rogério Samora e Oscar Magrini abandonaram o elenco mais cedo: Marta partiu para o Brasil; Bola e Luiz Manuel foram assassinados na mesma ocasião, na Estufa Fria.

Pouco tempo depois, Oscar Magrini aceitou o convite para protagonizar a novela A Senhora das Águas, na RTP.

Era uma grande vontade da SIC ter Catarina Furtado a encabeçar o elenco da sua primeira telenovela: “Durante cerca de um ano e meio, a SIC andou a namorar-me. […] Aceitei quando me falaram que era a primeira novela; que ia trabalhar com um realizador excelente; mostraram-me o elenco; era um produto que queriam muito, e eu tenho uma relação com a SIC… Se calhar fazia sentido começar por uma personagem como a Isabel, não muito distanciada de mim. Além disso, sou uma privilegiada pois conheço muito bem a câmara, e achei prudente juntar isso a uma personagem que tinha a minha idade, um discurso naturalista, não era uma vamp, não era uma doida, não era má”.

Contudo, foi bastante criticada pela artificialidade da sua interpretação. Chegou a cogitar-se uma diminuição da personagem Isabel. O próprio Rogério Samora, mais uma vez, fez uma declaração polémica, ao afirmar que Catarina Furtado era “uma excelente apresentadora de televisão”.

Apesar das críticas, Catarina Furtado considerou este trabalho uma batalha ganha: “Sendo o mais honesta possível comigo, acho que fui evoluindo; o que avalio também pelas reações das pessoas com quem trabalhei. […] Estava a ser protagonista de uma coisa que nunca tinha feito, assumi uma aprendizagem às claras”.

Para compor a fútil Tareca, Mafalda Vilhena fez “laboratório” em Cascais: “Ia para Cascais dar voltinhas pela Casa da Guia, pelas casas de chá e pelos cabeleireiros para ouvir as senhoras a falar. Foi assim que aprendi o tipo de comportamento daquelas pessoas”.

Ganância contou com a participação de personalidades conhecidas. Foi o caso de Herman José, Rui Veloso, Paula Bobone e dos jogadores Paulo Madeira, Jorge Cadete e Pedro Anjo.

Herman José como cliente no restaurante de Rodrigo

A banda sonora foi lançada em CD:

I’M LIKE A BIRD – Nelly Furtado
REMÉDIO SANTO PARA MIM – Marta Plantier
BE YOURSELF – Morcheeba
DÁ-ME A TUA ALMA – Susana Félix
PRIVACIDADE – Xutos e Pontapés
GETTING WORSE – Casino
DIZ-ME TUDO – Jorge Palma
A RUA DO GATO PRETO – Ala dos Namorados
MOMENTOS – Harmonia do Samba
SAUDADES – Sétima Legião
DÁ-ME A MÃO – Gig
BOTA PRA MEXER – Maurício Manieri
PAIXÃO – Heróis do Mar
SE ME QUERES AMAR – Faces
FLAMENCO! – Marius

Foram igualmente executadas na novela as seguintes músicas:

E POR VEZES – José Cid
UPSIDE DOWN – A-Teens
PEZINHO DA VILA – Brigada Victor Jara
CANTA MAIS – Eugénia Melo e Castro
DON’T LET ME BE THE LAST TO KNOW – Britney Spears

Apesar de ser Diz-me Tudo, interpretado por Jorge Palma, o tema do genérico, a música usada na divulgação pela SIC, e que ficou mais associada à novela, foi I’m Like a Bird, da luso-descendente Nelly Furtado.

Thiago Justino compôs o rap que serviu de tema às cenas passadas na tasca Bairro 4.

Por sua vez, a cantora Susana Félix interpretou Dá-me a Tua Alma, tema composto especialmente para a sua personagem, Marta. A música era sua e a letra de Mafalda Veiga.

Partilhar:

Ganância