O Quadro Roubado

Exibição:
09/05/1992 – 20/06/1992 (RTP 1)

Número de episódios:
06

Inspirado no conto de:
Ilse Losa

Argumento e diálogos:
António Torrado

Música original:
Xico Zé Henriques

Direção de produção:
Raul Barbosa

Realização:
José Carlos de Oliveira

Produção:
Imagem Real

Elenco:
Nuno Miguel Torrado – Gil
Sara Rute Narciso – Patrícia
André Gago – Professor Alberto
José Wallenstein – Pintor Edgar Dinis
Vítor Freitas – vagabundo
José Gomes – senhorio
Maria de Lima – Erika Goldberg
Ângela Pinto – Isabel
Cristina Homem de Mello – Joana
Jorge Gonçalves – Pedro
João Ricardo – marchand
Joaquim Rosa – Alves de Matos
Manuel Coelho – sobrinho
Augusto Portela – guarda do museu
João Martins – agente 1
Eurico Lopes – agente 2
Isabel Montelhano – mãe do Gil
José António Rocha – pai do Gil
Rita Alagão – mulher-a-dias
Filomena Domingos – vizinha
Roberto Candeias – amigo do pintor
Joaquim Nicolau – crítico de arte
Serafim Fonseca – chefe de segurança
Agustin Balseiro – segurança 2
Ana Gomes – contínua
Mário Gomes – mordomo Narciso
Nuno Marcelino – promotor de vendas
Ladislau Ferreira – leiloeiro
Adriana Barral – advogada
Fátima Pires – rececionista

Gil (Nuno Torrado) e Patrícia (Sara Narciso), primos e companheiros de escola, fazem uma visita de trabalho a um museu, com a turma e acompanhados pelo professor de Educação Visual (André Gago). Os alunos devem pintar ou desenhar reproduções de quadros à sua escolha, mas Gil não encontra nenhum a seu gosto. Quando o museu já vai fechar, Gil encontra, finalmente, um quadro que o impressiona: o “Arlequim” de Edgar Dinis (José Wallenstein), um pintor famoso há muito radicado no estrangeiro.

Gil e Patrícia apercebem-se, surpreendidos, de que o professor está ligado à obra por qualquer recordação.

Gil volta com a prima ao museu para pintar o quadro; mas, momentos depois de terminar o trabalho, o “Arlequim” é roubado… Com o roubo do quadro, é-nos mostrada, em flashback, a sua trajetória: desde que foi pintado, passou pelas mãos de inúmeras pessoas sem qualquer ligação entre si, até ao momento em que, misteriosamente, desapareceu do museu.

Gil (Nuno Miguel Torrado)
Durante uma visita de estudo ao museu, fica encantado com o quadro “O Arlequim”, que reproduz em desenho. Acompanha de perto os acontecimentos relacionados com o seu roubo.

Patrícia (Sara Rute Narciso)
Prima e colega de turma de Gil, é também a sua melhor amiga.

Alberto (André Gago)
Professor de Educação Visual de Gil e Patrícia. Tem uma relação afetiva muito forte com o quadro.

Isabel (Ângela Pinto)
Mulher de Alberto. Ao contrário do marido, não se interessa por arte, dando mais importância a dinheiro e a comodidades.

Edgar Dinis (José Wallenstein)
É o autor do quadro. Na época em que o pintou, era desconhecido e desprovido de bens materiais. Atualmente, é famoso e vive no estrangeiro.

Vagabundo (Vítor Freitas)
Está no museu no momento em que o quadro é roubado, tornando-se o primeiro suspeito. Mas a sua ligação ao quadro vem de antes…

Senhorio (José Gomes)
Senhorio da casa onde vive Edgar Dinis e dono de uma loja de antiguidades. Por não receber as rendas em atraso, despeja o pintor.

Mulher-a-dias (Rita Alagão)
Faz limpezas para Edgar Dinis. Ao encontrar a casa quase vazia, rouba-lhe o quadro das águas-furtadas.

Erika Goldberg (Maria de Lima)
Diretora do museu de onde o quadro é roubado.

Joana (Cristina Homem de Mello)
Interessa-se pelo quadro ao vê-lo na loja de antiguidades, entrando em conflito com o marido sobre a possibilidade de o adquirirem.

Pedro (Jorge Gonçalves)
Marido de Joana. Considera que, na situação em que se encontram, a compra do quadro não é prioritária.

Marchand (João Ricardo)
Avista, pela janela, o quadro em casa do professor Alberto, e oferece a Isabel uma avultada soma em troca do mesmo.

Alves de Matos (Joaquim Rosa)
Homem rico, vive num esplendoroso solar recheado de obras de arte. No passado, contratou Erika para sua secretária particular e, por lhe ter especial afeição, prometeu legar-lhe o quadro.

Sobrinho (Manuel Coelho)
Sobrinho de Alves de Matos. Boémio e alcoólico. Com a morte do tio, toma conta dos seus bens, inclusive do quadro.

1.
Durante uma visita escolar a um museu recheado de quadros modernos, Gil e Patrícia não se cansam de admirar a quantidade e, sobretudo, a qualidade das obras ali expostas. Especialmente tocado pelo quadro que representa um arlequim de olhar sonhador, Gil não resiste e regressa ao museu. Só que o quadro já não está lá…


2. 
Gil e os pais assistem, na televisão, à reportagem sobre o roubo do quadro. O vagabundo que fora preso já está em liberdade, pois a Polícia não acredita que seja ele o ladrão. Em flashback, ficamos a conhecer um pouco da história do quadro e do seu pintor, Edgar Dinis. Enquanto dá uma aula, o professor Alberto é procurado pela Polícia Judiciária.


3. 
Gil e Patrícia são interrogados pelos agentes da Polícia Judiciária e discutem, em seguida, se o professor deve ser considerado um dos suspeitos. Uma viagem ao passado mostra-nos que foi a mulher-a-dias que ficou com o quadro, acabando por deitá-lo no lixo, de onde foi recolhido por um vagabundo, o mesmo que os miúdos viram no liceu.


4. 
As suspeitas voltam a recair sobre o professor, e os agentes da Judiciária regressam à escola e interrogam-no. Gil e Patrícia decidem espreitar e ouvem o professor contar como, depois de ter comprado o “Arlequim”, foi assediado por um jovem, que queria o quadro para o oferecer à noiva.


5. 
Os alunos, que continuam preocupados, interrogam-se: terá sido o professor quem roubou o quadro? Entretanto, a diretora do museu surge com uma notícia surpreendente: o quadro reapareceu! Só que tanto o professor como os alunos acham que ele está diferente…


6. 
Gil vai buscar o seu desenho do “Arlequim” para o comparar com o quadro do museu, mas o desenho desaparece. Os dois primos assistem, em casa, a um noticiário da televisão e ficam a saber que Edgar Dinis, o autor do “Arlequim”, se encontra em Portugal. De repente, Gil tem uma ideia e arrasta a intrigada Patrícia até ao hotel onde o pintor está hospedado…

Série inspirada no conto homónimo de Ilse Losa, publicado pela primeira vez em 1976.

Ilse Losa

Na adaptação, António Torrado manteve o fio condutor, acrescentando novas situações e personagens. Os primos Gil e Patrícia, protagonistas da série, não existem na obra original.

Contudo, o protagonista da série acaba por ser o próprio quadro, cujas peripécias em torno do seu percurso dominam a ação.

Durante a exibição, a edição do conto pertencente à coleção Asa Juvenil, das Edições Asa, foi vendida com um selo que dizia “Acompanhe na TV, lendo”.

Sara Narciso, a intérprete de Patrícia, fora, no ano anterior, uma das concorrentes do concurso Tal Pai, Tal Filho.

O quadro – que no conto era “O Palhaço” e na série se tornou “O Arlequim” – foi assinado pelo pintor António Domingues.

Já o desenho de Gil foi feito por Manuel Viana.

Primeiro trabalho do ator Eurico Lopes.

Partilhar:

O Quadro Roubado