Os Amigos do Gaspar

Exibição:
19/10/1986 – 12/03/1989 (RTP 1)

Número de episódios:
35

Textos:
João Paulo Seara Cardoso
Jorge Constante Pereira

Música original:
Jorge Constante Pereira

Letras das canções:
Sérgio Godinho

Encenação:
João Paulo Seara Cardoso

Cenografia:
Carlos Dias

Bonecos:
Carlos Dias
Inês Guedes de Oliveira
Ruy Anahory

Produção:
Ana Maria Roseira

Realização:
Narciso Guedes
Adriano Nazareth
Ângelo Peres

Manipulação e vozes:
Ana Queiroz – Marta / Tia Felismina
João Paulo Seara Cardoso – Gaspar / Sr. Pires
Maria João Pires – Manjerico / Nita
Mário Moutinho – Professor / Guarda Serôdio / Neca
Raimundo Tavares – Farturas / Balu
Raul Constante Pereira – Romão
Regina Castro – Clarinha
Teresa Miranda – Pitágoras

A série mostra as aventuras e desventuras de um grupo de jovens amigos, prontos a desafiarem as mais atribuladas situações, levando a cabo novas ideias e as invenções mais inesperadas que se podem conceber, na rua ou no parque.

Gaspar, apesar de dar o nome à série, tem uma importância similar às restantes personagens do seu universo, como por exemplo Marta, uma jovem de cabelo cinzento que se assume constantemente como adepta das grandes causas sociais. Romão, entretanto, é o mais irreverente de todos, e Farturas, o ganancioso do grupo, está sempre a repetir os ensinamentos do seu progenitor.

Na prossecução dos seus objetivos, Gaspar e os seus amigos contam com a oposição do guarda Serôdio, o fiel zelador do recinto do parque, que se insurge contra quaisquer inovações em nome da legalidade. A sua grande paixão são as três galinhas, Genoveva, Henriqueta e Hermengarda, que também servirão de objeto às experiências de Gaspar e dos seus amigos, designadamente quando surge a ideia de fabricar uma poção que as leve a pôr ovos de ouro.

Na segunda série, novas personagens se juntam a estas, a começar pelo senhor Pires, marinheiro pouco adepto de grandes modernices, que prefere viver ancorado no seu passado. O senhor Pires nutre uma sincera admiração pela tia Felismina, colecionadora de provérbios e dona da única loja da rua onde decorre a ação. Outra personagem que aparece na segunda série é Neca, possuidor de um acentuado sotaque portuense, cuja função é fazer as entregas dessa mesma loja.

Surge ainda um novo elemento para a pandilha: trata-se de Pitágoras, o intelectual do grupo. Muitas das experiências que os amigos levam a cabo são inspiradas nas ideias de Pitágoras e do seu padrinho, o professor Fidebeque. Nem sempre as consequências são as mais desejadas, mas a diversão, essa, é garantida!

Gaspar
Miúdo pacato e bastante ponderado. Está na idade em que lhe começam a surgir as primeiras dúvidas existenciais.

Manjerico
Estranho bicho de estimação e companheiro inseparável do Gaspar.

Romão
Amante da música e de emoções fortes.

Farturas
Já trabalha “para ser rico quando for grande”. O seu verdadeiro nome é Bonifácio Magalhães. Não há uma conversa em que não cite uma frase do seu pai.

Marta
Entusiasta do mundo moderno e preocupada com as injustiças que nos rodeiam. Na primeira série, é apaixonada pelo Farturas.

Ricardo (Pitágoras)
Jovem dotado de inteligência invulgar e criador das mais incríveis engenhocas. Afilhado e aprendiz do professor Fidebeque.

Nita
Irmã mais nova de Romão, ainda não ultrapassou a idade dos “porquês” e tem uma vontade exacerbada de brincar com os mais velhos.

Guarda Serôdio
Fiel zelador do recinto do parque. Passa a vida a proibir as coisas inopinadas que constam do MCPP (Manual das Coisas Proibidas do Parque).

Professor Fidebeque
Inventor extraordinário de coisas simples e úteis aos outros, a quem o grupo recorre com frequência em situações de apuro.

Tia Felismina
A “avozinha” querida do grupo, que é a dona da loja “tem-tudo” lá da rua. Dona de uma invejável sabedoria popular, tem sempre um provérbio na ponta da língua.

Sr. Pires
“Lobo do mar” de outros tempos, que não oculta os seus amores por Felismina, a quem considera “uma mulher de categoria”.

Neca
Puto da rua que faz as entregas da loja. Maluco por futebol.

Clarinha
Amante das plantas, dos animais e da natureza em geral. Gosta muito de pintar. É a protetora de Balu.

Balu
Monstro que vive numa gruta do parque.

Outros personagens

Arqueólogo

Anastácio da Silva

Médico

Urso

1.ª série

1. A descoberta do monstro (19/10/1986)
Marta apresenta a sua nova máquina fotográfica, concebida pelo Professor, com algumas peças que restaram do circufluptuómetro. Os amigos resolvem programá-la para, todos juntos, tirarem uma fotografia de grupo. Mas algo de muito estranho aparece no enquadramento…


2. Pipocas gigantes (26/10/1986)
Clarinha, sozinha no parque, prepara-se para pintar uma tela, quando verifica, espantada, que desapareceu um grande maciço de plantas. Mas não foram só as plantas a levar sumiço, pois o mesmo aconteceu às pipocas que o guarda Serôdio vendia no seu quiosque.


3. A mina de ouro (02/11/1986)
Num domingo de chuva, Gaspar é acordado pelo Manjerico, o seu ouriço de estimação; ele quer mostrar-lhe o arco-íris, que se vê da janela do quarto. Estão a conversar quando chega o Farturas, que, muito excitado, vem propor ao Gaspar um grande negócio.


4. A grande ilusão (09/11/1986)
Romão gostava de ser mágico e vai pedir ajuda ao Professor, na esperança de conseguir concretizar o seu sonho. Os problemas começam quando Romão pretende fazer desaparecer objetos… e pessoas.


5. A cobaia (16/11/1986)
O Gaspar empresta o Manjerico ao Professor, que o usa como cobaia em algumas experiências. Levanta-se assim uma discussão entre os amigos: será que a vida de um animal deve ser posta em perigo a troco do desenvolvimento da ciência?


6. Desamores da Marta (23/11/1986)
Pensando sempre a longo prazo, o Farturas resolve procurar uma namorada com quem se casará daqui a 10 anos. Embora abalada com a notícia, a Marta decide pregar-lhe uma partida…


7. Vida noturna (30/11/1986)
Gaspar e os amigos resolvem fazer uma experiência: viver à noite e dormir de dia. Combinam encontrar-se todos junto ao lago para ouvir os grilos e observar as estrelas.


8. Micro sarilho (07/12/1986)
Farturas chega ao parque muito contente porque ganhou num concurso uma viagem pela Europa. Entretanto, o Professor é vítima de uma das suas experiências.


9. Caçada ao monstro (14/12/1986)
O guarda Serôdio prepara uma armadilha para apanhar o monstro do parque, e o Farturas, com o desacordo dos amigos, caça grilos para vender em gaiolas.


10. O aniversário do Gaspar (21/12/1986)
O grupo combina uma reunião sem a presença de Gaspar. O motivo é simples: eles querem preparar uma peça de teatro para representar no seu aniversário.

2.ª série

1. O parque ameaçado (15/11/1987)
O guarda Serôdio comunica que uma parte do parque será destruída, com vista à construção de um centro comercial. Assistimos ainda à chegada de Pitágoras, o novo elemento da pandilha.


2. As galinhas do Serôdio (22/11/1987)
Atravessando algumas dificuldades financeiras, o guarda Serôdio percebe que as suas galinhas poderão ser uma boa fonte de receita. Rapidamente o Farturas lhe propõe que constituam uma sociedade de galináceos…


3. Rádio no parque (29/11/1987)
Com a ajuda do Professor, os amigos planeiam montar a sua própria estação de rádio. Apesar das emissões se restringirem ao recinto do parque, as confusões causadas não são poucas…


4. O futebol (06/12/1987)
Gaspar e os amigos organizam um jogo de futebol no terreno baldio situado junto à casa do Sr. Pires. Quem não acha piada à ideia é o Neca, que se julga o dono do terreno. A Tia Felismina é obrigada a intervir para repor a paz entre a canalha…


5. O robot (13/12/1987)
O Professor ultima a sua nova invenção: um robot capaz de realizar uma grande diversidade de tarefas. Inadvertidamente, o Farturas põe-no a trabalhar e, à solta, o robot provoca um grande alvoroço.


6. A Tia Felismina está doente (20/12/1987)
A Tia Felismina está de cama e, na impossibilidade abrir a loja, entrega-a aos cuidados dos amigos do Gaspar, com Farturas no comando. As reclamações dos clientes não tardam a começar…


7. Um conto de fadas (27/12/1987)
A Nita está convencida de que, se beijar o sapo que vive no lago do parque, este irá transformar-se em príncipe. Para que a menina não fique desiludida, o Gaspar toma a iniciativa de transformar o seu sonho em realidade.


8. O festival de música (03/01/1988)
Gaspar e os amigos formam uma banda para concorrer ao festival de música da escola. Cada um treina o seu instrumento, mas quando chega a hora do ensaio geral, torna-se difícil atingir a harmonia…


9. O arqueólogo (10/01/1988)
Um arqueólogo faz escavações inopinadas no parque e é expulso pelo guarda Serôdio. Contudo, este acaba por achar bastante interessante a ideia de existirem tesouros enterrados no parque…


10. A muda do pico do Manjerico (17/01/1988)
É um momento difícil para o Gaspar: o Manjerico perdeu todos os picos! O Pitágoras sugere aplicarem um novo invento de raios infraverdes, utilizado para fazer crescer a relva. Será que resulta?


11. O assalto (24/01/1988)
A Tia Felismina está desolada com os prejuízos que um assalto à loja lhe causou. O guarda Serôdio toma para si a tarefa de descobrir a identidade do gatuno e imediatamente aponta Neca como principal suspeito…


12. Viagem à rua (31/01/1988)
Entusiasmados com as viagens pelos sete mares relatadas pelo Sr. Pires, os amigos resolvem também viajar e não são nada comedidos no destino que escolhem: a Lua! Só lhes falta encontrar algo que sirva de foguetão…


13. O sono do Gaspar (04/12/1988)
O Gaspar está de cama e não consegue sequer falar, deixando todos muito preocupados, em especial o Manjerico. Enquanto isso, o Farturas está a treinar para ser toureiro.


14. A riqueza da floresta (11/12/1988)
No dia da árvore, o guarda Serôdio vê-se com um grave problema em mãos: se o parque não tiver pelo menos 1000 árvores, perde o seu emprego. Para seu desespero, apenas consegue contar 992…


15. Cinema no parque (08/01/1989)
Pitágoras surge com a ideia de fazerem um filme, utilizando a sua nova máquina de efeitos especiais. Mas o Guarda Serôdio opõe-se veementemente à ideia de se realizarem filmagens inopinadas no recinto do parque…


16. O terreno assombrado (15/01/1989)
Neca fica em pânico quando vê uma placa a dizer “vende-se” no campo de futebol. O principal interessado é Anastácio da Silva, um ganancioso empresário que, para construir um grande empreendimento, quer comprar não só o terreno, mas a rua toda!


17. A galinha dos ovos de ouro (22/01/1989)
Aproveitando as investigações do Professor no domínio da alquimia, Pitágoras decide fazer uma experiência com as galinhas do Guarda Serôdio, produzindo um remédio que lhes permita pôr ovos de ouro.


18. O barco voador (29/01/1989)
Gaspar e Romão construíram um barco sozinhos. Ocorre que agora não têm sítio com água para o colocar, a não ser o minúsculo lago do parque. A alternativa será transformá-lo em barco voador…


19. Os amores de Marta (05/02/1989)
Os rapazes não simpatizam com o novo namorado da Marta e, no dia dos namorados, arranjam uma maneira assaz original de se verem livres dele. Só que o plano acaba por desgraçar também o guarda Serôdio…


20. O circo (12/02/1989)
Neca está eufórico com o seu novo emprego: vai trabalhar no circo. A principal atração do espetáculo é um urso da Sibéria que o Neca deixa fugir e, à solta, provoca o pânico de todos. Quem conseguirá domá-lo?


21. Voar com Leonardo da Vinci (19/02/1989)
Pitágoras e o Professor construíram umas asas semelhantes às desenhadas por Leonardo da Vinci. Para que funcionem, é necessário que o lançamento seja feito de um lugar alto. E o piloto de ensaios vai ser o Farturas…


22. O aprendiz de polícia (26/02/1989)
O Neca foi preso por ter roubado uma bola de futebol. A pedido da Tia Felismina, o guarda Serôdio torna-se seu tutor e fá-lo garantir escrupulosamente todas as proibições que estabeleceu no recinto do parque.


23. O eclipse (05/03/1989)
Durante as suas observações pelo telescópio, o Professor descobre que vai haver um eclipse total do Sol. O guarda Serôdio, que anda em maré de azar, pensa que se trata do fim do mundo e que o fenómeno é responsabilidade sua.


24. A festa (24/06/1988 | 12/03/1989)
Os amigos querem fazer uma festa dos santos populares, mas o guarda Serôdio proíbe a sua realização no parque. Com a ajuda da Tia Felismina, é organizada uma grande festa na rua, que conta com alguns convidados especiais.


25. Pedidos ao Pai Natal (25/12/1987 | 25/12/1988)
Nita deseja saber a morada do Pai Natal para mandar a cartinha a pedir as prendas. O guarda Serôdio, o Professor e o Sr. Pires disfarçam-se então de Pais Natais e arranjam uma grande confusão.

Como consequência do sucesso de A Árvore dos Patafúrdios, surgiu o projeto para uma nova série. A mesma equipa reuniu-se e assim nasceram Os Amigos do Gaspar.

Desta feita, os textos passaram a ser da responsabilidade de João Paulo Seara Cardoso e Jorge Constante Pereira, permanecendo Sérgio Godinho como responsável pelas letras das canções.

Os Amigos do Gaspar divide-se em duas séries: a primeira, de 10 episódios (exibida em 1986), e a segunda, de 25 (exibida em duas temporadas, entre 1987 e 1989).

A primeira série foi realizada por Narciso Guedes. Os primeiros episódios da segunda série tiveram como realizador Adriano Nazareth, posteriormente substituído por Ângelo Peres.

O especial de Natal, que obteve um êxito assinalável, foi exibido em dois anos consecutivos: no dia 25/12/1987 às 17:00 e no dia 25/12/1988 às 13:10.

No dia 24/06/1988, dia de S. João, foi exibido o episódio dedicado às festas populares. Nesta altura, estávamos no intervalo entre as duas temporadas da segunda série.

Na segunda série, verificaram-se algumas alterações no rol de personagens. Saíram a Clarinha e o Balu; entraram o Pitágoras, a Nita, o Neca, a Tia Felismina e o Sr. Pires.

O boneco da Marta foi trocado por um novo, bastante diferente do primeiro.

Marta na 1.ª série
Marta na 2.ª série

Paralelamente, surgiu um cenário novo: a rua onde se situavam a loja da Tia Felismina, a casa do Sr. Pires e a casa do Romão, cujo sótão era um dos principais pontos de encontro da pandilha.

Em maio de 1987, João Paulo Seara Cardoso foi um dos 15 alunos, selecionado entre 150, para um curso com o mestre Jim Henson, criador dos eternos Marretas e Fraggles, entre outros. Este curso valeu a João Paulo o aprendizado que colocou em prática na segunda série d’Os Amigos do Gaspar, e que tornou notório o salto qualitativo entre uma série e outra. Para isso, contribuiu a dinâmica imprimida com o maior número de personagens e a maior diversidade de cenários.

João Paulo Seara Cardoso com o mestre Jim Henson

A série primava pela simplicidade e originalidade dos adereços, que lhe davam um encanto especial. São exemplos disso os inventos do Professor, feitos com formas de pudim, talheres e outros utensílios de cozinha, e o penico que o Sr. Pires utiliza como capacete.

No quarto do Gaspar, aparece um planeta Terra pendurado na parede, semelhante ao do genérico de A Árvore dos Patafúrdios.

Tomé, personagem da Árvore, ressurgiu no último episódio da primeira série.

Tomé conversa com o guarda Serôdio

Os Amigos do Gaspar fizeram uma aparição no programa ABZ, apresentado por Júlio Montenegro e gravado nos estúdios do Porto.

A notória qualidade deste trabalho fê-lo merecer elogios como “até parece estrangeiro”, como podemos ver num artigo do Se7e.

Numa pesquisa feita pela revista Maria, sobre os programas vistos pelos portugueses, Ana Bola elegeu Os Amigos do Gaspar como um dos programas da sua preferência.

Um dos pontos fortes da série eram as músicas, compostas por Jorge Constante Pereira e com letras de Sérgio Godinho. Cada personagem tinha o seu próprio tema musical, cuja letra era adaptada à situação do episódio em questão.

No verão de 1988, Sérgio Godinho e Os Amigos do Gaspar reuniram-se para gravar um disco com alguns desses temas.

Em 2001, a discografia de Sérgio Godinho foi integralmente editada em CD e este álbum não foi exceção.

ABERTURA
É TÃO BOM
AS DÚVIDAS DO GASPAR
O FARTURAS QUER SER RICO
NA CIDADE
A PAIXÃO DO VELHO PIRES, O MARINHEIRO
DONA FELISMINA E A SUA LOJA
OS PAIS-NATAIS
CANÇÃO DOS ABRAÇOS
VIVA O FUTEBOL!
AMORES DE MARTA
FAÇANHAS E FRACASSOS DO GUARDA SERÔDIO
PICO PICO MANJERICO
CANÇÃO DOS PALHAÇOS SÉGITO E ROMÃO
EMBALO
FIM

Sérgio Godinho tem incluído o tema principal, É Tão Bom, no alinhamento de alguns dos seus espetáculos.

A Canção dos Abraços, tema do episódio dedicado ao Dia dos Namorados, foi repescada para uma curta representação feita por Raul Constante Pereira e Margarida Henriques no Natal dos Hospitais de 1989.

Chegaram a ser produzidos panfletos para divulgação da série no exterior. No entanto, a comercialização acabou por não acontecer.

O público aguarda ansiosamente uma edição da série em DVD. Apesar de já terem sido feitas algumas tentativas nesse sentido, infelizmente ainda não se concretizou…

Ao longo dos anos, a série foi reposta diversas vezes:

– Em 1990, às quartas-feiras, no Espaço Infantil da RTP 2.

– Em 1994, ao fim da tarde, também na RTP 2.

– Na RTP Memória, já teve várias reposições.

João Paulo Seara Cardoso foi, durante mais de 20 anos, diretor artístico do Teatro de Marionetas do Porto. Deixou-nos prematuramente, no dia 29/10/2010. Antes, porém, partilhou muitas das suas memórias sobre a série num blog que, lamentavelmente, já não se encontra online.

João Paulo Seara Cardoso

Durante anos, os bonecos e diversos adereços utilizados na série ficaram guardados no porão do teatro, à exceção do Manjerico, que mereceu um tratamento especial e foi “adotado” por João Paulo Seara Cardoso.

Atualmente, todos os bonecos (incluindo o Manjerico) podem ser vistos na exposição patente do Museu das Marionetas do Porto.

Jorge Constante Pereira dirige a cooperativa O Fio de Ariana, que se destina a ajudar bebés, crianças e jovens com dificuldades de integração.

O Manjerico, já na altura descrito como “a vedeta da série” pelo jornal Se7e, é hoje em dia o personagem mais recordado.

Também o Guarda Serôdio se tornou uma figura imortal. Prova disso foi a entrevista de Fernando Alvim ao Há Conversa, na RTP Memória, em que sugeriu que o canal passasse séries como O País dos RodinhasA Árvore dos Patafúrdios e… O Guarda Gaspar!

Partilhar:

Os Amigos do Gaspar