Os Lobos

Exibição:
09/11/1998 – 10/09/1999 (RTP 1)

Número de capítulos:
200

Telenovela de:
Francisco Nicholson

Colaboração de:
Paulo Barbosa

Direção de atores:
Virgílio Castelo

Direção musical:
Paco Bandeira

Direção de produção:
Pedro Miranda

Realização de estúdio:
Jorge Cardoso

Realização de exteriores:
Lourenço J. de Mello

Supervisão:
Álvaro Fugulin

Direção geral:
Nicolau Breyner

Elenco:
Amadeu Caronho – Detetive
Ana Afonso – Tilde
Ana Brito e Cunha – Raquel Lobo
Ana Maria Lucas – Celeste
António Aldeia – Chagas
António Pedro  Cerdeira – Rui / Ricardo
Armando Cortez – Carlos Silvestre
Benjamim Falcão – Ernesto
Carlos César – Carraça
Carlos Quintas – Mário Antunes
Carlos Rodrigues – Lérias
Carlos Vieira d’Almeida – Agente José Carvalhal
Carmen Santos – Inês
Cristina Areia – Mélia
Cucha Carvalheiro – Guida
Diogo Infante – Jorge Lobo
Fátima Brito – Maria
Fernanda Serrano – Marlene
Filipa Gordo – Noémia
Guilherme Filipe – Manuel Lobo
Henrique Viana – José Vasco Venâncio Fraga
Igor Sampaio – Juvenal
Inês Rosado – Marília
João Lagarto – Fausto Marques
João Miguel Diniz
Joaquim Guerreiro – Jeitoso
José Martins – Fernando
Júlio Cardoso – Luís Monteiro
Mané Ribeiro – Ivone
Manuel Castro e Silva – Álvaro
Manuel Coelho – Tiago
Manuela Maria – Maria das Dores Venâncio
Maria Amélia Matta – Silvina Lobo
Maria do Rosário Silva Sousa Marques – Rosa
Maria Dulce – Laurinda
Maria João Luís – Daisy
Maria José Miranda – Zulmira
Miguel João Diniz
Nádia Santos – Dora
Nuno Santos (Nuno Gil) – Luisinho
Patrícia Brito e Cunha – Agente Dulce
Patrícia Tavares – Lúcia Marques
Paula Mora – Salomé
Paula Neves – Milu
Paulo Matos – Pierre
Pedro Lima – Paulo
Ricardo Trêpa – Jacinto
Rita Almada – Mafalda
Romi Soares – Rosarinho
Sílvia Rizzo – Inspetora Graça Tomé
Sinde Filipe – Lourenço Lobo
Sofia Alves – Sabrina Venâncio
Sylvie Rocha – Sara Lobo
Viviana Lopes – Teresa

Participações especiais:
Abdul Razac Seco – Jornalista do ‘Últimas’
José Raposo – Bêbado
Henrique Pinho – Segurança
José Fiúza – Toneca
Maria Tavares – Mãe de Negativo
Luís Fortunato – Médico de Vina
Rui Fernandes – Ministro
Leonor Francisco – Funcionária do estúdio
Maria Augusta Quinta – Sr.ª Figueiredo
Lucilo Valdez – Amigo de Luís Monteiro
Jorge Carvalho – Jasmim
Pedro Pinheiro – Diretor da prisão
Carla Lupi – Psicóloga
Sofia Morais – Assistente social
Fernando Tavares Marques – Prof. Marcelino Gouveia
Yolanda – Produtora de moda
João Mais – Cliente do restaurante
Rui de Sá – Pintas
Vítor Emanuel – Mãozinhas
António Cid – Cirurgião
Rosa Alexandra – Xana
Sandra B. – Estilista
Sandra Cóias – Bárbara (modelo)
Nucha – Modelo
Bruno Nogueira – Fotógrafo
José Boavida – André
Joel Branco – Ismael
Maria da Paz – Cliente do restaurante
Roberto Durão – Advogado de Vasco Venâncio
Andrea Oliveira – Empregada do restaurante de Ismael
Anna Paula – Felícia
Maria José – “Ti” Francisca

Para uns vilão, para outros herói, assim é Lourenço Lobo (Sinde Filipe). Industrial reputado, dos maiores do país, preenche os seus dias feitos com brigas e paixões, afrontas e frenesins. Nasceu pobre – extraordinariamente pobre – na Serra d’Arga. Com a mocidade no fim, desceu a Lisboa, sonhador, sem nunca se acobardar nem aceitar desaforo. Com a alma em desassossego, punha a crença a arder na pujança e no vigor do seu trabalho. Criou à sua volta um mito e um império.

Lourenço

Em 1998, está prestes a ser agraciado com a sua segunda comenda.  Arrebatador nos negócios, conquistador e sedutor nato, teve três filhos – Manuel (Guilherme Filipe), Salomé (Paula Mora) e Sara (Sylvie Rocha) –, todos de mulheres diferentes e díspares entre si.

Manuel é o seu filho varão e o continuador da dinastia Lobo. Herdou do pai as características machistas, mas é bastante precipitado e titubeante nos negócios. Do primeiro casamento, teve dois filhos – Jorge (Diogo Infante) e Raquel (Ana Brito e Cunha) – e atualmente vive uma relação falida com Vina (Maria Amélia Matta), da qual nasceram dois gémeos. É o administrador delegado no carro-chefe do grupo, a fábrica LL Luxis, menina dos olhos do comendador, por ser a unidade mais rentável do império Lobo.

Manuel

Salomé é muito masculina no trajar e no penteado, e bastante radical no hastear da bandeira feminista. Dir-se-ia que vive num cubo de gelo, pouco permeável a interferências exteriores. Meticulosa e perfecionista, é a responsável pelo departamento jurídico na sede.

Salomé

Sara é uma outsider por conta própria e também por causa do despropositado casamento com o arrivista Pierre (Paulo Matos). Modelo de profissão e sem grande capacidade para os negócios, foi-lhe dada a gestão de uma discoteca da moda, o Formidável, tarefa da qual não dá mostras de saber cumprir com grande brilhantismo.

Sara
Pierre

Uma ensolarada tarde estival ameaça tornar-se um suplício para Lourenço e, por arrastamento, para toda a família Lobo. O fotógrafo de escândalos Florival Dores, mais conhecido por “Negativo”, aproveitara uma frincha nos muros da mansão Lobo e fotografara uma festa sensual e provocante, organizada por Sara nos jardins da propriedade. Do alto da sua torre de marfim, Lourenço deteta o intruso pelos seus binóculos e ordena à sua pretoriana guarda que afaste o paparazzo. A perseguição termina em tragédia e Florival morre esmagado por um camião. De imediato, a PJ abre uma investigação às causas da morte. No afã de encontrar vestígios do acidente (ou atentado), fica esquecido o último rolo fotográfico disparado por “Negativo”.  A película vai ter às mãos de Fausto Marques (João Lagarto). Tirando-a do alcance da polícia, o jornalista sente bons agoiros a insinuarem-se-lhe com a oportunidade de uma investigação ao acidente capaz de alavancar as vendas do jornal Últimas.

Com as tiragens e vendas em queda, o Últimas vive na iminência de brevemente não voltar às bancas. Em complicações e atribulações se vai fazendo o seu presente, desconfiando-se de que não tenha futuro. Os constantes apelos do seu diretor, o defensivo Mário Antunes (Carlos Quintas), deixam Lourenço colérico e sem grande vontade de tirar a empresa do vermelho.

Por águas igualmente em rebuliço anda a jóia da coroa do império LL, a fábrica LL Luxis. Os salários dos trabalhadores estão em atraso e a cara trancada do administrador delegado Manuel não prenuncia o melhor. Puxando o coração à cabeça, os delegados sindicais agendam para a noite da comemoração do 70.º aniversário do comendador uma manifestação à porta da mansão Lobo, que, a concretizar-se, pode fazer Manuel perder a presidência pela ponta da unha.

Sinal de que para Manuel o cobiçado lugar de presidente da LL está mesmo em campo incendiado é o facto de ser casado com Vina, uma relação tumultuosa e sem fogacho de felicidade. Nem o nascimento dos gémeos, os irrequietos Pedrinho e Paulinho, fizeram os pais abrir sorriso em flor. Vina, com um passado pouco recomendado no bas-fond da noite lisboeta, insinuante aspirante social, marcou Lourenço como alvo e, perante a renúncia do comendador, abraçou o filho para conseguir entrar pela mansão Lobo adentro. De outro pecadilho perece Manuel: o frémito e a paixão pelo jogo.

Vina

Murmurando que a presidência do grupo não se lhe escapará das mãos, Jorge sente o sonho ao virar da realidade. Lucilando-lhe nos olhos o frémito conquistador do avô e do pai, tem noivado com Sabrina (Sofia Alves), médica pediátrica, no horizonte.

Sabrina e Jorge

Menos espicaçada com o sonho de ter a presidência na mão, Raquel tem uma relação de cumplicidade com Lourenço, como jamais outro Lobo a tivera. Perdem-se em segredos e conchavos e, não fosse o peso de ser mulher, dir-se-ia que tinha o futuro apontado ao céu.

Raquel e Lourenço

Poderia ser o prémio de consolação: casar a filha, Sabrina, com o neto do seu maior inimigo, que em tempos de meninice já esquecidos já fora o seu melhor amigo. Mas o armador naval Vasco Venâncio (Henrique Viana) quer mais, muito mais. Homem duro, de reputação embaciada por Viana do Castelo, olhado de soslaio pela terra, solta um sorriso de cada vez que o grupo LL está em suplício.

Vasco Venâncio

Lourenço vai perdendo o fulgor e alguma da racionalidade que lhe permitiram ser o Lobo feroz nos negócios que é hoje e, com a família atirada ao que foi o seu inferno, nova amolgadela no ânimo sofre: Manuel é esventrado por um meliante perigoso, Jeitoso (Joaquim Guerreiro), e é atirado para a cama do hospital. O aleijão ainda não sarara quando nova investida fere quase de morte o grupo Lobo: um assalto à fábrica esvazia-lhe os cofres e a reputação.

Com Lourenço na via-sacra e a família em frangalhos, vai emergindo das sombras uma figura que lhe retempera o coração: Marlene (Fernanda serrano), a sensual amiga de Sara, que, lasciva e interesseira, atira-se certeira ao amor do “Lobinho” envaidecido.

Marlene

A tormenta da vida dura experimentou-a Guida (Cucha Carvalheiro). Desde pequena que guarda uma dívida quase eterna de gratidão para com a família Lobo. Vive com as emoções na corda bamba: pariu dois gémeos a quem não lhe foi permitido dar pai. Este não morreu, mas Guida nunca o pôde identificar, deixando amargo de boca em Rui e Ricardo (António Pedro Cerdeira). Ambos quase iguais no físico, o mais diferentes possível no psicológico: Rui cumpre pena e Ricardo é um dos delegados sindicais da LL Luxis, onde trabalha – tal como a mãe, que é cantineira.

Guida
Ricardo e Rui

Destes e de outros vai falando Fausto Marques, encarregue de ser o escriba da biografia que, a contragosto e por vezes a gosto, se vai escrevendo sobre a vida do comendador. Contando com a ajuda da filha Lúcia (Patrícia Tavares), fotógrafa no Últimas, e da ex-namorada Inês (Carmen Santos), e com as desajudas do cínico e truculento Tiago Boaventura (Manuel Coelho), a obra vai apanhando os factos mais relevantes da vida agitada de alguém de quem pouco se sabe – mas muito se admira – e que agarrou as oportunidades da vida como um Lobo esfaimado.

Fausto e Lúcia
Inês

Família Lobo

Lourenço (Sinde Filipe)
Nasceu pobre, nas cercanias de Viana do Castelo, na Serra d’Arga. Como a muitos da sua idade, o volfrâmio pôs-lhe o primeiro dinheiro a sério que se visse na algibeira. Desceu para Lisboa e, com rasgo, construiu um império. É um dos mais sólidos e consolidados empresários nacionais, reputado exteriormente. Aos 70 anos, a sua vida daria um livro, e vai dar se o talento de Fausto assim o permitir. Transparece a imagem de um homem inteligente, empertigado e enigmático, mas permeável aos encantos das mulheres. Vai ver o coração pregar-lhe partidas, pondo-o literalmente em trabalhos.

Manuel (Guilherme Filipe)
O filho varão de Lourenço, fruto do seu casamento com Leopoldina. “Play-velho”, jogador e batoteiro compulsivo. Administrador delegado da fábrica LL Luxis, parece ter sido lá colocado não por habilidade, mas apenas por ser filho de quem é. À semelhança do pai, gosta de trabalhar rodeado de colaboradoras bonitas, mas, por vezes, exagera nas colaborações… Do primeiro casamento, teve dois filhos: Jorge e Raquel. Vive, atualmente, um casamento falhado com Vina, de quem tem um par de gémeos rebeldes.

Salomé (Paula Mora)
Filha do segundo casamento de Lourenço com Felícia. É advogada e trata dos assuntos jurídicos do grupo LL. De pulso firme, exigente, possui uma invulgar capacidade de trabalho e uma reconhecida capacidade de liderança. A sua parca feminilidade levanta dúvidas acerca da sua orientação sexual. Não se casou e desconfia-se de que não virá a casar. Ciosa da sua privacidade, alimenta a dúvida de onde vai ao domingo à tarde…

Sara (Sylvie Rocha)
A terceira filha de Lourenço. Uma cabeça oca por cima de um corpo de modelo que lhe embala a existência. Alheia aos negócios da família, queixa-se de que é marginalizada e esquecida pelo pai, que “apenas” lhe deu uma boîte, o Formidável, para a entreter. É amiga de Marlene e tem um casamento de conveniência com Pierre.

Jorge (Diogo Infante)
Filho de Manuel. Segue a linha máscula de sedutor inveterado da família, que faz Lourenço ter um certo orgulho no neto. Guloso pela cadeira da presidência, é capaz de tudo pelo lugar. Cínico e interesseiro, tem um namoro pouco consistente (para ele) com Sabrina, não se coibindo de piscar o olho às secretárias da LL.

Raquel (Ana Brito e Cunha)
A menina dos olhos do avô, com quem tem uma ligação de grande cumplicidade. Sentimental, repete vezes sem fim que ama muito Lourenço, levando a frase ao pé da letra, tendo uma relação mais franca e fraternal com ele do que com Manuel. Vai apaixonar-se por Paulo, colocando à prova os preconceitos da família.

Vina (Maria Amélia Matta)
Ex-corista, espalhafatosa, conheceu Lourenço nos cabarets do bas-fond lisboeta, deixando-o pelo beicinho, mas acabou por casar com o seu filho, Manuel. Sente o seu poder e faz questão de lembrar que tem pronta a usar, caso queira, bomba atómica que rebente a reputação do patriarca. Não ama Manuel, por Lourenço sente mais do que amor.

Paulinho / Pedrinho (João Miguel Diniz / Miguel João Diniz)
Filhos de Vina e de Manuel. Travessos, irrequietos, colocam Noémia em sobressalto.

Pierre (Paulo Matos)
Casado por conveniência com Sara – um casamento no qual nem os cônjuges acreditam. Pomposo, excêntrico, oportunista de masculinidade duvidosa, apelida-se de Pierre, quando se chama Pedro. É gerente do Formidável e movimenta-se com à-vontade no mundo da moda. Tem prazer em irritar o sogro.

Família Venâncio

Vasco Venâncio (Henrique Viana)
Dono de um pequeno estaleiro naval em Viana do Castelo. Tem a alma em amargor por Viana não lhe reconhecer o trabalho que faz para o desenvolvimento da cidade. Desconfiado, rancoroso, burgesso, tem um passado de recalcamentos por saldar com Lourenço Lobo, do qual já foi amigo.

Dores (Manuela Maria)
Esposa de Vasco, acompanhou o marido nos bons e maus momentos. Mulher de pouca instrução, mas de alguma intuição. Dona de imensas calinadas, esforça-se, pela felicidade da filha, em aguentar um casamento já desfeito.

Sabrina (Sofia Alves)
Médica pediatra. A única filha do casal Venâncio. Não aprova os métodos do pai e a passividade da mãe. Namora Jorge Lobo. Ciumenta e possessiva.

Família Marques

Fausto (João Lagarto)
O último dos moicanos dos jornalistas boémios. Redator principal do Últimas. Põe a família Lobo em ebulição ao publicar uma notícia pormenorizada sobre a morte de Negativo. Pouco dado a luxos, vive num tugúrio (um quarto na Pensão Estrela do Bairro). Pai de Lúcia, espirituoso, gosta de ser uma criança eterna. Às vezes abusa na bebida. Nos amores, é um falhado.

Lúcia (Patrícia Tavares)
Do pai, herdou algum humor desconcertante. À mãe, dá preocupações ao telefone. Fotógrafa do Últimas, temperamental e espirituosa, gosta pouco de injustiças. Vai apaixonar-se por Ricardo e despertar o interesse de Jorge.

Família Pinto

Guida (Cucha Carvalheiro)
Cantineira da LL Luxis. Mãe de gémeos. Cozinheira de dotes afamados, faz petiscos de fazer crescer água na boca aos trabalhadores da fábrica. Não esconde uma simpatia, às vezes desmesurada, pela família Lobo. Com alguma inocência matriarcal, vai amparando o jogo do filho Rui.

Ricardo (António Pedro Cerdeira)
O gémeo do bem. Trabalhador exemplar e delegado sindical na fábrica LL Luxis. Tem bem vincada a noção de igualdade e de justiça, vivendo amargurado pelo pouco afeto que a mãe demonstra em relação a ele. Vai apaixonar-se por Lúcia.

Rui (António Pedro Cerdeira)
O gémeo do mal. Malandro, mariola e pulha. Está preso, mas sempre a pensar no golpe seguinte que há de dar quando sair do cárcere. Desde cedo que se confunde com o irmão, fazendo passar-se por ele.

Sede LL

Celeste (Ana Maria Lucas)
Secretária pessoal de Lourenço Lobo há muitos anos, guarda consigo um segredo. Parece ser de confiança…

Milu (Paula Neves)
Pin-up secretária de Jorge, a quem tenta acalmar os galanteios. Namora com Paulo e tem um tique: o de dizer as horas certas a que acontecem as coisas.

Fábrica LL Luxis

Paulo (Pedro Lima)
Estudante-trabalhador, amigo de Ricardo e membro da comissão de trabalhadores da fábrica. Está a tirar um curso superior para conseguir subir na vida. Tem um namorico com Milu, mas depressa vai sentir outra palpitação no coração.

Ernesto (Benjamim Falcão)
Revolucionário e contestatário, é um dos membros da comissão de trabalhadores da fábrica.

Álvaro (Manuel Castro e Silva)
Um dos operários da fábrica.

Ivone (Mané Ribeiro)
Secretária da Administração da fábrica. Suspeita-se de que foram os seus atributos físicos que lhe deram o lugar, numa colaboração demasiado estreita com Manuel.

Carlos Silvestre (Armando Cortez)
Figura enigmática. É o administrador financeiro da LL Luxis, mas movimenta-se como ministro-sombra de Lourenço Lobo, que conhece como a palma da mão. Dissimulado, parece alegrar-se com o mal da fábrica, não abrindo mão de descredibilizar todos os Lobos que se sentam na cadeira da administração. Larga vezes sem conta a pretensão de se reformar, que Lourenço vai negando.

Mélia (Cristina Areia)
De língua atrevida, é uma das ajudantes de cozinha de Guida. Tem um fraquinho por Ricardo.

Tilde (Ana Afonso)
Ajudante de cozinha de Guida, a quem se esforça por pôr a cabeça em água.

Rosa (Maria do Rosário Silva Sousa Marques)
Ajudante de cozinha de Guida.

Família Monteiro

Luís Monteiro (Júlio Cardoso)
Homem de peito brasonado, é um dos mais respeitáveis cidadãos de Viana do Castelo. Ainda granjeia algum prestígio pela cidade, embora esteja na penúria. Avesso ao namoro da filha, Teresa, é um fiel seguidor das tradições.

Rosarinho (Romi Soares)
Mulher de Luís. Mãe extremosa e preocupada com os filhos, embora evite fazer frente ao marido.

Teresa (Viviana Lopes)
Menina doce, a viver um amor encantado com o desconhecido Jacinto. Tem um part-time como guia turística e ainda tem tempo para o Teatro do Noroeste, a cujo elenco pertence.

Luisinho (Nuno Gil)
Irmão de Teresa. Rebelde e irreverente q.b., acentua a sua faceta de bon vivant, incitando Teresa a namorar com Jacinto. Está a tirar, sem grande vocação, o curso de Direito. É um pinga-amor, dando lustro à sua faceta conquistadora no programa de rádio que tem numa estação local.

Estaleiros

Zulmira (Maria José Miranda)
As senhoras de Viana torcem o nariz sempre que com ela se cruzam, por acharem que a conhecem bem demais. A fama escura de Venâncio, de quem é mais do que secretária, fê-la cair no falatório vexatório. Tem uma antipatia profunda por Luís Monteiro.

Jacinto (Ricardo Trêpa)
Engenheiro no Estaleiro Naval de Venâncio. É um estranho na cidade, e o facto de trabalhar para um homem socialmente pouco apreciado não ajuda na sua integração na sociedade local. Parece ser competente. Detesta que o ameacem, embora seja, ele próprio, uma ameaça para Vasco Venâncio…

Últimas

Mário Antunes (Carlos Quintas)
Diretor do jornal Últimas. Homem fraco e permeável, anda ao sabor do vento. Tem um fraquinho por Inês, que tenta controlar, para não lhe perder a amizade.

Inês (Carmen Santos)
Redatora principal do Últimas. Com bom senso e competência, vai ajudando a resolver os problemas do jornal. Sentimentalmente, o seu coração ainda sangra por Fausto, de quem continua amiga e confidente. Vive com Tiago uma relação que caminha para o abismo.

Tiago Boaventura (Manuel Coelho)
Editor de cultura do jornal. Intelectualóide, com um cuidadoso descuido no trajar. Cínico, melífluo, toma de ponta Fausto, a quem acusa de lhe estar a estragar a vida. Pelo seu vício, o jogo, é capaz de vender a alma ao Diabo.

Juvenal (Igor Sampaio)
Para ele tudo é futebol. É o responsável pela secção desportiva do Últimas.

Marília (Inês Rosado)
Jornalista recém-formada. Trabalha no Últimas há pouco tempo.

Pensão-Restaurante Estrela do Bairro

Carraça (Carlos César)
É o proprietário da pensão-restaurante onde, reconheça-se, pouco trabalha, deixando para Laurinda a tarefa de cozinhar e de servir às mesas. De vez em quando, desaparece misteriosamente e, com ele, desaparece também uma fatia do apuro do dia.

Laurinda (Maria Dulce)
Dona da pensão-restaurante. Mulher amiga do seu amigo, sensível e compreensiva. É mais do que uma mãe para Daisy.

Daisy (Maria João Luís)
Prostituta magra, frustrada e meiga. Chama-se Fátima, mas todos a conhecem pelo seu nome de guerra. Anda na “vida” por necessidade, fazendo de tudo para esconder o seu presente da filha, que julga que ela está em Toronto. Acaba por ser vítima da chantagem de Jeitoso.

Polícia Judiciária

Inspetora Graça Tomé (Sílvia Rizzo)
Inspetora da Polícia Judiciária. Mulher forte e determinada. Sabe ser rude quando é necessário, mas possui um sentido de humor acutilante. Entre ela e Fausto Marques existe uma rivalidade latente.

Agente José Carvalhal (Carlos Vieira d’Almeida)
Companheiro inseparável de Fausto, desde os tempos da escola. Os dois passam a vida a “espingardar” e a inventar partidas para pregarem um ao outro. Elemento frustrado de uma Polícia Judiciária onde não passou nem passará de agente, é o penúltimo dos boémios, uma vez que o último é Fausto.

Agente Dulce (Patrícia Brito e Cunha)
Agente recém-formada na escola de polícia. Tem alguma ingenuidade e um nervosismo próprios da inexperiência, mas vontade de mostrar serviço.

Outros personagens

Marlene (Fernanda Serrano)
Amiga de Sara. Bonita, extremamente sensual, é também modelo, embora não seja um modelo de virtudes. Desperta a paixão viva e vibrante de Lourenço, como que o rejuvenescendo.

Jeitoso (Joaquim Guerreiro)
O jeito para “amigo do alheio” nasceu-lhe nas veias, para contornar a miséria onde vivia. Conhece Rui na cadeia e coloca-lhe a fumegar na cabeça golpes que lhes podem possibilitar enriquecer rapidamente. Não parece ser muito esperto. É mais músculo do que cérebro.

Lérias (Carlos Rodrigues)
Recluso na cadeia e companheiro de cela de Rui. Ar estouvado, parece não ser de muita confiança.

Dora (Nádia Santos)
Filha de Daisy. Foi criada num colégio interno, passando as férias em casa da tia Zulmira. É ouvinte e admiradora de Luisinho Monteiro.

Noémia (Filipa Gordo)
A babá dos gémeos. Com ouvidos apurados, conta todas as conversas da família a Vina.

Maria (Fátima Brito)
Empregada da família Lobo. Vigia Noémia, quando Vina desconfia da sua lealdade.

Joaquina
Empregada da família Lobo.

Chagas (António Aldeia)
Motorista da família Lobo.

Segurança (Henrique Pinho)
Segurança de Lourenço Lobo.

Piedade
Empregada da família Venâncio. Coscuvilheira, está sempre à escuta das conversas dos patrões.

Detetives
Profissionais contratados por Vasco Venâncio para investigarem os “podres” da família Lobo. No decorrer da história, prestam também alguns serviços a Vina.

Participações especiais

Florival ‘Negativo’
Fotógrafo do jet-set. Crápula. Morre em circunstâncias estranhas após fotografar uma festa em casa de Lourenço Lobo.

Bêbado (José Raposo)
Homem embriagado que importuna Jorge e Sabrina, quando estes namoram na rua.

Toneca (José Fiúza)
Responsável gráfico do Últimas.

Mãe de Negativo (Maria Tavares)
Mãe do fotógrafo Florival, fica desvalida com a morte do filho. Parece uma velhinha simpática.

Médico (Luís Fortunato)
Presta assistência a Vina, depois de uma tentativa de suicídio.

Fernando (José Martins)
Encenador do Teatro Municipal Sá de Miranda, cujo elenco Teresa integra.

Jasmim (Jorge Carvalho)
Porteiro do hospital onde trabalha Sabrina.

Diretor (Pedro Pinheiro)
O diretor da prisão. Para ele, os presidiários não são más pessoas.

Psicóloga (Carla Lupi)
Colaboradora da associação Ninho, que acolhe prostitutas em situação de risco.

Assistente (Sofia Morais)
Assistente social da associação Ninho. Orienta Daisy a fazer análises.

Professor Gouveia (Fernando Tavares Marques)
Médico do “velho Lobo”. Recusa-se a dá-lo por interdito, como lhe sugerem Sara, Pierre e Manuel.

Mãozinhas (Vítor Emanuel) / Pintas (Rui de Sá)
Dois reclusos que confundem Rui e Ricardo.

Xana (Rosa Alexandra)
Enfermeira que trata de Manuel depois de este ter sido esfaqueado por Jeitoso. De nariz empinado, não se amedronta com o poder de Lourenço e abespinha-se com Vina.

Mafalda (Rita Almada)
Prima de Luisinho e de Teresa. Quando o luto ensombra a vida da família Monteiro, ajuda Luisinho a acionar o seguro de vida de Teresa.

André (José Boavida)
Médico ortopedista no hospital onde Sabrina trabalha. Vai apaixonar-se por ela e leva-a às Festas d’Agonia.

Ismael (Joel Branco)
Dono de um restaurante requintado. Interessado em Daisy, oferece-lhe emprego e uma quota numa sociedade com Laurinda e Carraça.

Advogado (Roberto Durão)
Advogado de Vasco Venâncio.

“Ti” Francisca (Maria José)
Mulher enrugada da Serra d’Arga que, mesmo com algumas falhas de memória, conta a Fausto e a Lúcia pormenores relevantes sobre a infância de Lourenço Lobo.

Felícia (Anna Paula)
Oficialmente, é a segunda mulher de Lourenço Lobo, embora tenha sido por ela que o coração do jovem Lourenço palpitou em primeiro lugar. Mãe de Salomé, está internada em segredo num lar da terceira idade.

Depois de alguns anos a concorrer com a novela cabeça de cartaz da SIC, a RTP resolveu mudar de estratégia e voltou a servir a novela portuguesa antes do jantar, decisão fortemente contestada por todos os envolvidos no projeto.

Optou-se também por uma alteração do formato: os inicialmente previstos 150 capítulos de 45 minutos foram transformados em 200 de apenas meia hora.

As “cem horas” de Os Lobos trouxeram-nos alguns elementos familiares a quem acompanhara as novelas precedentes da autoria de Francisco Nicholson.

A família composta por Vasco Venâncio (Henrique Viana), Dores (Manuela Maria) e Sabrina (Sofia Alves) é uma cópia quase perfeita do clã Santos de Cinzas. Se atentarmos às personagens homólogas na novela de 1992 – Amílcar (António Montez), Odete (também vivida por Manuela Maria) e Anabela (Helena Laureano) –, verificamos que se situam exatamente na mesma linha dramática: um sujeito boçal, casado com uma mulher ignorante, cuja filha está noiva do filho daquele que considera ser o seu maior inimigo.

A família Santos...
... e a família Venâncio

As semelhanças não se esgotam aí, com as picardias entre as empregadas e a governanta, que existiam tanto em Vila Faia quanto em Cinzas, a serem transferidas da cozinha da mansão para a cantina da fábrica LL Luxis.

Apesar de um enredo escorreito e atrativo, sem erros comprometedores no fluir da história, ressalta-se a existência de algumas situações sem grande nexo e uma crescente tendência para o humor revisteiro, que situaram algumas cenas num plano sofrível.

Parafraseando o jornalista Fausto Marques – merecedor de louvor pela interpretação de João Lagarto –, o comendador Lourenço Lobo (Sinde Filipe) surpreendeu os espectadores, mas pelas piores razões. Esperava-se do protagonista uma figura carismática, quando o que tivemos foi um empresário cheio de ziguezagues emocionais e pouca razoabilidade na gestão de um império.

Os Lobos marcou a estreia de Sinde Filipe nas telenovelas portuguesas, pese embora já tivesse, em 1985, sido protagonista de uma novela no Brasil. O elenco de Antônio Maria – assim se intitulava este trabalho, produzido pela Rede Manchete – era também encabeçado por Elaine Cristina (conhecida do público português pela participação nas novelas Sinhá Moça, Kananga do Japão e Pantanal) e pela cantora Eugénia Melo e Castro, no papel de antagonista.

A RTP chegou a dedicar a esta produção um episódio do programa RTP Brasil. Porém, a novela – “bastante má”, nas palavras do protagonista – nunca foi exibida entre nós.

Ainda no domínio das falsas promessas, ficou-nos o amargo de boca de não termos percebido o “explosivo manancial de podres” que Vina dizia possuir sobre o patriarca Lobo, capaz de lhe dinamitar a reputação.

A intérprete da ex-corista foi Maria Amélia Matta, consagrada atriz de teatro, poucas vezes vista na televisão. O convite para a sua participação partiu do próprio Francisco Nicholson, de quem fora parceira nos palcos.

Maria Amélia Matta com Sinde Filipe

Parte do enredo desenvolveu-se em Viana do Castelo. Uma das cenas mais importantes ali rodada foi o casamento de Sabrina (Sofia Alves) e Jorge (Diogo Infante), que reuniu grande parte do elenco e que ficou marcada pelo calor que se fez sentir durante as gravações, como recordou Sofia Alves: “Estava um calor terrível e aqueles fatos, que são realmente bonitos, não ajudavam muito porque são de inverno. Foram muitas horas de gravações e, a determinada altura, senti-me a sufocar. Por outro lado, tinha em cima de mim um valor incalculável em ouro. Uma das jóias que tinha ao pescoço faz parte do cofre da cidade de Viana do Castelo. Isso foi realmente um grande privilégio para mim”.

Sofia Alves

Na reta final da novela, foram incluídas imagens das Festas da Senhora d’Agonia, a rainha das romarias nacionais, tendo alguns atores participado no desfile.

No entanto, o núcleo vianense – formado por atores radicados no Norte – pouco convenceu. De notar que, sem razão aparente, o grupo de teatro do qual fazia parte Teresa Monteiro (Viviana Lopes) “perdeu-se”, deixando de ser mencionado. A propósito, o fim precoce da personagem ficou igualmente mal explicado.

Viviana Lopes

Pareceu-nos igualmente forçado o final de Jacinto (Ricardo Trêpa), como agente da PJ disfarçado de competente engenheiro naval.

Ricardo Trêpa

Depois de uma primeira experiência da NBP em A Grande Aposta, com Lúcia Moniz no papel de duas gémeas, coube a António Pedro Cerdeira a difícil tarefa de viver dois irmãos de personalidades opostas. Em declarações à TV Guia, o ator confessou a sua preferência pelo mau da fita: “Adaptei-me mais facilmente ao gémeo Rui, porque era um papel diferente do que tinha feito até então. Tive mais facilidade e apaixonei-me logo por ele. Com o outro gémeo, o Ricardo, foi mais complicado. Com ele, andei a ‘apanhar bonés’ durante cerca de 40 episódios”.

Apesar de ter considerado este trabalho prazeroso, foram várias as dificuldades que teve de ultrapassar: “No terceiro mês de gravações já estamos esgotados porque chegamos a gravar trinta cenas por dia. Com dois papéis é bastante mais complicado. Mudamos de roupa muitas vezes, representamos várias horas para o vazio. É um trabalho bastante desapoiado e solitário. Depois existiram situações em que uma cena de três minutos demorou quatro horas a gravar. Mas, tecnicamente, sinto-me muito mais rico e gostei da experiência”.

António Pedro Cerdeira como os gémeos Ricardo e Rui

Cerdeira repetiu com Patrícia Tavares o par romântico formado em Roseira Brava (1996), novela em que ambos se estrearam.

Apesar de, no nosso entender, não lhe ter sido dado o devido aproveitamento no enredo, o intriguista Carlos Silvestre deu-nos mais uma vez a oportunidade de apreciar o talento do veterano Armando Cortez.

Armando Cortez

De assinalar, igualmente, a interpretação de Vasco Venâncio, em que Henrique Viana nos ofereceu alguns momentos de “pintas videirinho”, bastante característicos da sua forma de atuar.

Henrique Viana

Também merecedora de elogios foi a prestação da atriz Maria Tavares, enquanto a dúbia mãe de “Negativo”, fazendo lamentar que a sua personagem não tenha estado mais tempo em cena.

Maria Tavares

Por razões externas à produção da novela, decorrentes de compromissos anteriormente assumidos, Diogo Infante teve de deixar o folhetim quando Os Lobos entrou na sua derradeira fase, contribuindo para um certo empobrecimento narrativo, sobretudo no que ao seu núcleo diz respeito.

Juntas no elenco, as irmãs Ana e Patrícia Brito e Cunha poucas oportunidades tiveram de contracenar. Para além de uma cena em que Raquel é interrogada pela agente Dulce, houve uma ocasião em que a realização fez uma “gracinha”, colocando as duas atrizes no mesmo plano.

As irmãs Ana e Patrícia Brito e Cunha

Parentes são também os atores Sinde Filipe e Guilherme Filipe: pai e filho na novela, são primos na vida real.

Grande parte das imagens do genérico foi captada no Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, na localidade do Picão, Malveira.

Os exteriores da mansão Lobo foram gravados na Quinta da Ribafria, em Sintra.

Em Viana do Castelo, o solar dos Monteiro era a Casa da Torre de Nossa Senhora das Neves, um alojamento local nos arredores da cidade.

Esta foi a última novela da RTP a ter a sua banda sonora lançada em CD.

GENÉRICO – Paco Bandeira
OS FEITIÇOS DO LUAR – Paco Bandeira
LOBO LOURENÇO – Carlos Mendes (tema de Lourenço Lobo)
AGUARELA DE JUNHO – Dina
NESTA LISBOA – Paulo de Carvalho
ASA DE UM ANJO – Caravana
MOMENTOS – Pedro e os Apóstolos
SOB UM CÉU DE LISBOA – Nelson & Sérgio Rosado
JÁ OUVISTE O MAR – Simone de Oliveira
FOI ASSIM – Astronautas
VITORINA – Dina
FADO – Paulo de Carvalho e Ivan Lins
FADO DA INVENTURA – Margarida Bessa
OS LOBOS DA MINHA INFÂNCIA – Miguel & André

Não incluídas no CD:
MAIS PERTO DE MIM – Jarojupe
SÍMBOLOS – Paco Bandeira (tema de Fausto)
5 SENTIDOS DE LISBOA – Pedro Freitas Branco
CANÇÃO DE AMOR DO MARINHEIRO – Lúcia Moniz
MULHER DE QUALQUER POVO DA TERRA – Maria Armanda (tema de Guida)
LISBOA VISTA DO CÉU – Braga Santos
FENOMENAL – Laurent Rossi / Philipe Nava
AMO A NOITE – Infinite-E
ILUSÃO – Infinite-E
LOVELESS – Infinite-E
BANG FOR THE BUCK – Infinite-E
A FORÇA DA SERENIDADE – Jorge Brandão
CARREGAR AS BATERIAS – Jorge Brandão

A faixa Sob um Céu de Lisboa era interpretada pelos irmãos Nelson e Sérgio Rosado, que, em 1997, haviam vencido o concurso de talentos Casa de Artistas. Apenas em 1999 passariam a apresentar-se como “Anjos”.

Sérgio e Nelson Rosado

Maria Armanda e Paulo de Carvalho atuaram na novela, interpretando as respetivas canções da banda sonora.

Maria Armanda
Paulo de Carvalho

Maria João Bastos foi convidada por Virgílio Castelo para integrar o elenco, mas não aceitou o convite, por implicar algumas cenas de nudez – depreendemos tratar-se do papel de Marlene, que foi entregue a Fernanda Serrano: “Na altura pensei que fosse ficar catalogada pelo corpo, pela beleza, por alguém que se despiu e, naquele momento, não era o caminho que eu queria. Não sei como tive coragem para olhar para o Virgílio e dizer ‘muito obrigada, mas eu não quero a personagem’. […] Chorei a noite inteira sem saber o que ele pensou da minha atitude”.

Também Fernanda Serrano revelou ter estado a ponto de desistir da personagem, após três semanas de trabalho, por temer não estar à altura de uma composição tão complexa. Foi Virgílio Castelo que a demoveu: “Disse-me para eu nem pensar em desistir, que aquela era a minha grande personagem de composição e que me iria fazer crescer muito como atriz. Quando cheguei a meio da telenovela senti que tinha a Marlene nas mãos e isso deu-me um gozo tremendo”.

As cenas mais “picantes” de Marlene acabaram, contudo, por ser bastante contidas.

Para além de vilã sensual, Marlene tinha a particularidade de ser bissexual, o que, embora não fosse explicitamente citado, ficava latente nas suas cenas com Sara (Sylvie Rocha).

Bruno Nogueira fez uma figuração especial na novela, no papel de um fotógrafo.

Bruno Nogueira

Outra presença curiosa foi a da locutora e apresentadora Sofia Morais, como uma assistente social.

Sofia Morais

Os atores Ana Brito e Cunha, António Pedro Cerdeira, Patrícia Tavares e Pedro Lima fizeram uma produção fotográfica para a TV 7 Dias, tendo como motivo o Ano Novo de 1999.

A sessão fotográfica protagonizada por Marlene e Sara, na novela, teve como cenário os estúdios fotográficos da Impala.

A novela encontra-se disponível para visualização no portal RTP Arquivos.

Partilhar:

Os Lobos