Os Putos

Exibição:
09/12/1979 – 30/12/1979 (RTP 1)

Número de episódios:
04

Autoria:
Altino do Tojal

Produção e realização:
Herlânder Peyroteo

Os Putos é uma série baseada no livro com o mesmo nome de Altino do Tojal. Fala-nos de uma infância normalmente não evocada, porque dura e verídica, carregada de poesia e humanismo.

Os Putos são os pequenos dramas de que todos temos conhecimento e que povoam o nosso dia-a-dia de cidadãos pacatos e trabalhadores. São um alerta, uma chamada de atenção àquilo que existe e que nós, muitas vezes, por esta ou aquela razão, não podemos ou não queremos ver.

Nesta série, sobressai o mundo mágico das crianças e que entra em confronto com a realidade e as angústias dos adultos.

1. (09/12/1979)

O comboio das 22
Na estação do caminho-de-ferro, um menino pede esmola para juntar dinheiro (“chapinhas brancas”, como ele lhe chama) e ir ter com o pai que está emigrado, lá para os “maricanos”. Para a criança, trata-se do grande sonho, um sonho impossível que um escritor sente não dever desfazer, sabendo que as “chapinhas brancas” nunca serão suficientes para comprar um bilhete para as “Américas”, um bilhete de comboio para uma travessia impossível.

Elenco:
Virgílio Castelo – escritor

E os putos:
José Carlos Antunes – Mingos
Armindo Santos Gomes
Joaquim Miranda

O ciganito
Um garoto cigano toca violino na rua, ganhando o que as pessoas lhe dão. Um dia, um casal passa. Ela, uma beldade, encanta-se com o pequeno músico; ele, um político, olha-o com hostilidade, porque acha que tocar violino assim é um modo mal disfarçado de mendigar. O casal discute. Ele, por fim, cede. E o ciganito assiste a tudo isto, impassível, como que consciente da sua grandeza.

Elenco:
Lídia Franco – Alice
Jorge Sousa Costa – político

E o puto:
Miguel Glatzer

2. (16/12/1979)

Uma visita
Um casal desconhecido quer travar amizade com uma criança, o Manuel. Na realidade, o garoto é filho daquele homem bem vestido e perfumado, que o alicia para um passeio e lhe oferece livros e bolos. Manuel não o vai seguir, porque não quer abandonar o avô, com quem vive, à pobreza e à velhice.

Elenco:
Laura Soveral
Eduardo Jacques – Manuel
Maria Otília – professora
Joaquim Miranda – Avô de Benjamim

E os putos:
Fernando Jorge Rodrigues
António Ribeiro da Silva
Manuel Sena
José Manuel Gil Antunes
Pedro Tavares

3. (23/12/1979)

Pegar ou não pegar
Numa esplanada, dois miúdos discutem sobre a hipótese de se apoderarem da gorjeta deixada em cima de uma mesa. “Camelório, tiras ou não?”, pergunta para o outro aquele que pretende assumir a chefia do “mini-bando”.

Sorvetes e pão
“Pedisse pão, eu daria”, é como um cidadão brasileiro gordo comenta o desejo manifestado por uma criança pobre em ter dinheiro para comprar um sorvete, neste conto que tem como cenário a esplanada de um hotel de praia.

Emigrantes
Um camponês pretende viajar de balão até à Estrela do Pastor, com a mulher e quatro filhos, recusando a sugestão alternativa de emigrar para França.

Sardinhas e Lua
Um menino reparte com um cão e um gato a sardinha que é o seu jantar, enquanto espera, à porta de casa, que os “homens grandes” saiam, para poder ir dormir junto da mãe. A pobreza e a promiscuidade em que vive a criança não lhe retiram, contudo, a ingenuidade de pensar poder falar com a Lua e oferecer-lhe um naco do seu magro jantar.

Elenco:
Clara Rocha
Adelaide João
Asdrúbal Teles
Andrade e Silva
Francisco Brás
Eduardo Viana
Carmo Mateus – Rosa Gomes
Carlos Cabral – Teobaldo Gomes
Júlio César – empregado de mesa
Carlos César – cidadão gordo
António Rebolo
Gil António
Norberto Barroca – Deus

E os putos:
José Carlos Antunes
José Manuel Gil Antunes
Cristina Prazeres
Carla Sandra
Manuel António
Paulo Fernando
Maria Armanda

4. (30/12/1979)

De joelhos perante um tojo
A necessidade de diálogo sentida por uma criança, a ponto de eleger como confidente um arbusto bravio, preferindo a sua companhia aos dogmas que lhe são impostos na catequese, constitui o fio de ligação de toda a história. Nela se esboça, igualmente, o retrato de um ambiente familiar repressivo, baseado apenas na importância que é dada ao culto religioso, por parte das tias velhas com quem a criança vive.

Elenco:
Luísa Neto
Mariema – Isabel
Natércia Gonzaga
Armando Venâncio – Custódio
José Raymond
Rosa do Canto – Maria
Albino Santos
Carlos Pimenta
Elsa Wallencamp

E os putos:
Diogo Melão
Jorge Reis
Francisco Mendes
António Cenca
José Araújo
Paulo Silvestre
António Mértola

Adaptação quase literal de Os Putos, a obra mais conhecida de Altino do Tojal. Foram transpostos para a televisão 8 dos 25 contos que compõem o livro.

Altino do Tojal
Edição Círculo de Leitores (1977)

Os Putos foi uma das produções de arranque do Centro de Teledramáticos da RTP. O objetivo desta unidade, liderada pelo realizador Herlânder Peyroteo, era evoluir da fórmula do teleteatro para uma outra, mais elaborada.

Quase todos os episódios foram dobrados. Relativamente ao primeiro, O comboio das 22, o realizador justificou que os diálogos captados nas filmagens estavam impercetíveis. A voz do personagem de Virgílio Castelo foi feita por outro ator.

Estranhamente, o jornal Se7e elogiou o tratamento dado ao som: “De realçar um aspeto quase sempre esquecido em produções portuguesas: a intencionalidade do som, obtida com imaginação e sensibilidade pouco vulgares”.

O conto Sardinhas e Lua contou com a participação da pequena Maria Armanda, com 4 anos e meio, no papel de um menino. A sua atuação deixou boquiaberta toda a equipa que a acompanhou.

A menina viria a tornar-se famosa por conta da interpretação da música Eu vi um sapo, que lhe conferiu a vitória no festival italiano de música infantil Sequim de Ouro, em 1980.

Algumas edições posteriores da obra trouxeram, na capa, fotografias dos “putos” da série.

12.ª edição (1982)
Livraria Portugalmundo Editora
14.ª edição (1985)
Perspectivas & Realidades

Partilhar:

Os Putos