Passerelle

Exibição:
04/10/1988 – 17/03/1989 (RTP 1)

Número de capítulos:
120

Argumento e diálogos:
Ana Zanatti
Rosa Lobato Faria

Direção de atores:
Armando Cortez

Direção de produção:
Thilo Krasmann

Realização:
Nuno Teixeira

Produção:
Edipim

Elenco:
Alexandre de Sousa – André Guimarães
Albino Moreira de Carvalho
Alina Vaz – enfermeira
Amélia Videira – conservadora
Amílcar Botica – padre
Ana Alexandra
Ana Bola – Leonor
Ana Maria Lucas – Susana
Ana Padrão – Catarina Cardoso
Aníbal Coelho – Castanhola
António Aldeia
António Fonseca – Cândido
António Sacchetti
Armando Cortez – Arménio Teixeira
Carlos Alfaiate
Carlos Daniel – Vasco Mendes
Carlos Santos
Carmen Dolores – Maria do Carmo
Cláudia Cadima – Elsa
Dulce Guimarães – Fátima
Eugénia Bettencourt – porteira
Fernando Mendes – Raul Mateus
Filipe Ferrer – Luís Cardoso
Filomena Gonçalves – Lena
Florbela Queiroz – Célia Emília Alves
Guida Maria – Ana Rita
Helena Isabel – Maria do Céu Salema Barrett
Homem Cardoso
Inês Vaquinhas – Ritinha
Isabel Gaivão – Luzia
João Carlos
João de Carvalho – Zé Ricardo
João Manuel
João Sarabando – António Gonzaga
Jorge Araújo
Jorge Estreia
José de Carvalho – Dr. Machado
Julie Sergeant – Rosarinho
Júlio César – Armando Alves
Laura Soveral – Palmira
Licínio França – vigia da PJ
Lídia Franco – Marta Franco
Luís Alberto – Figueiras
Luís Aleluia – Paulinho
Luís Machado
Luís Pavão – Chico
Luísa Barbosa – Isaura
Manuela Carlos – Wanda
Manuela Cassola – senhoria
Manuela Maria – Amélia Viana
Margarida Carpinteiro – Maria do Amparo Rodrigues
Margarida Mascarenhas
Maria David – Isabel Queirós Mexia
Maria Dulce – Aurora Trindade
Natalina José – Fernanda
Nicolau Breyner – Major Ilídio
Noémia Costa – Madalena
Norberto de Sousa – Artur
Old Soares
Paula Cruz – Custódia
Paulo Trindade – Gil Cardoso
Rolando Alves
Rosa do Canto – Lurdes Gomes Alberto
Rui Luís – Coelho
Rui Mendes – Pinto
Ruy de Carvalho – Prof. João Senna Rocha
Simone de Oliveira – Madame Solange
Teresa Pinto Coelho
Tony de Matos – Monteiro
Tozé Martinho – Pedro Beja
Varela Silva – recluso
Virgílio Castelo – Tó Gonzaga
Vítor de Sousa – Miguel Pessoa
Zé Arantes – João Carlos
Zé Raposo – Pente Fino

Descrita pelas autoras como “a história de duas irmãs que seguem caminhos diferentes”, Passerelle mostra-nos o agregado familiar de Luís Cardoso (Filipe Ferrer), casado com Maria do Carmo (Carmen Dolores), uma mulher submissa e acomodada que vive para as lides domésticas. O casal tem dois filhos: Gil (Paulo Trindade), estudante de Arquitetura, e Catarina (Ana Padrão), cujo sonho é ser modelo.

Com eles mora também Isabel (Maria David), a irmã solteirona de Maria do Carmo, que é professora primária. Isabel envolve-se com Vasco (Carlos Daniel), pai de Ritinha (Inês Vaquinhas), uma das suas alunas. Mas a ex-mulher dele, Ana Rita (Guida Maria), faz de tudo para atrapalhar a felicidade do casal.

Cardoso é um homem “à antiga” e, como tal, é-lhe perfeitamente natural ter uma relação extraconjugal com Célia (Florbela Queiroz), uma mulher com pêlos nas ventas e que faz dele gato-sapato.

Outra família central é a de André Guimarães (Alexandre de Sousa), dono de uma fábrica de confeções. André enviuvou muito cedo e a sua filha Rosarinho (Julie Sergeant) foi criada com a ajuda da governanta Amélia (Manuela Maria). Esta não resiste aos galanteios do contabilista da fábrica, o senhor Teixeira (Armando Cortez), a quem considera “um homem muito fino”. Rosarinho namora com Gil, mas o romance fica atribulado com a chegada da prima Céu (Helena Isabel), cujo principal passatempo é semear intrigas no seio da família.

Num passado recente, André teve um caso com Wanda (Manuela Carlos), uma manequim ambiciosa que está disposta a tudo para se vingar, depois de ter sido dispensada pelo empresário. Acaba por se unir a Tó Gonzaga (Virgílio Castelo), um concorrente de André, que envolve Teixeira nas suas jigajogas.

No decorrer da trama, ficamos a saber que André tivera também um romance com Isabel, a quem abandonara grávida. Presentemente, André envolve-se com Catarina, o que causa alguma perturbação a Maria do Carmo e, naturalmente, a Isabel. A relação acaba por não vingar e André termina junto da sua fiel assessora Marta (Lídia Franco).

No último capítulo, assistimos à tão esperada união entre Gil e Rosarinho. Por sua vez, Isabel, que se julgava incapaz de engravidar, espera agora um filho de Vasco, formando com ele e Ritinha uma família feliz…

Maria do Carmo (Carmen Dolores)
Mulher de Luís, é uma dona de casa de temperamento calmo, infeliz no casamento, mas que tenta manter o bom humor. Sentindo-se mortiça e cansada, vai a um médico que lhe mudará a vida, ganhando a estima que sempre lhe faltou.

Luís Cardoso (Filipe Ferrer)
Gerente bancário. É o homem tradicional português: trabalha para sustentar a casa e tem uma amante. Rígido, austero, espartano com a família. Já não repara em Maria do Carmo. Mesmo não sendo um modelo de virtudes, não vai gostar que a filha seja modelo. Com a amante, já não é tão rígido, não tendo sequer a chave de casa dela.

Isabel (Maria David)
É a irmã solteirona de Maria do Carmo. Professora num colégio, onde passa a diretora. Opõe-se ao feitio autoritário do cunhado. É bastante reservada quando fala de si. Não tem namorado, o que é um mistério para as colegas. Vai apaixonar-se por Vasco, libertando alguns fantasmas do armário.

Gil (Paulo Trindade)
Filho dos Cardoso, estuda arquitetura. É um pouco introvertido e sofre com as discussões dos pais. Namora Rosarinho, embora não seja muito determinado no amor. É algo cândido e permeável, caindo nos golpes de Céu e de Luzia.

Catarina (Ana Padrão)
Filha dos Cardoso. Trabalha no escritório do Sr. Monteiro e, do nada, este desperta-lhe um desejo que nunca teve: o de ser modelo. Encantada, troca a burocracia pelo brilho e pela pompa das passerelles e objetivas. Sente na pele a oposição do pai, que lhe lembra que “enquanto viver à sua custa não é maior”. Vai apaixonar-se por André Guimarães.

Custódia (Paula Cruz)
É a criadita dos Cardoso. Veio para a cidade grande depois de uma infância sofrida, de maus tratos e privações. Muito simples, risonha, agradecida, estima muito a patroa, que a trata como uma filha mais nova.

André Guimarães (Alexandre de Sousa)
Viúvo. É o proprietário da firma André Guimarães, Lda. Elegante, civilizado, com traços de galã maduro. Leva uma vida bastante agradável e as mulheres não lhe ficam indiferentes. Sonha em ampliar os negócios, tendo uma ilimitada confiança nos seus quadros superiores. Homem de muitos amores e de alguns humores.

Rosarinho (Julie Sergeant)
Filha de André, é estudante de pintura e namora Gil Cardoso. Temperamento: simpático, romântico, sonhador. Gosta muito do pai e do amparo de Amélia. Sofre muito.

Amélia Viana (Manuela Maria)
É governanta da casa Guimarães. Mulher encantadora e ótima profissional, foi atriz na sua juventude. Vive em galanteios com o Sr. Teixeira, a quem gaba ser “um homem muito fino”.

Luzia (Isabel Gaivão)
Criada da família Guimarães. Sozinha no mundo. Anda na escola noturna, à custa de André, onde solta ser rica e filha de boas famílias. Para o curso de dissimulação, não precisa de estudar. Inveja Rosarinho e sonha ser como ela, vestindo-lhe as roupas e delirando inclusivamente ser sua irmã. Vai colaborar com Céu, interesseiramente, para ajudar a tirar Gil do caminho de Rosarinho.

Isaura (Luísa Barbosa)
Amiga de Amélia desde os tempos do teatro, onde era a mestra da costura. Com Amélia, descose-se toda, soltando intrigas e indiscrições. É a “bruxa da Arruda”, solta Luzia, que não lhe acha grande graça. Pragueja contra o genro, a quem chama de “malcriadão”, enquanto ganha apetite por queques que a deliciam.

Céu (Helena Isabel)
Sobrinha de André Guimarães, chega de supetão da África do Sul, com alguma surpresa da família. É o retrato vivo da mãe de Rosarinho. Intriguista, vai exalar má disposição, instigar a família Guimarães e ser dura prova de fogo no amor de Rosarinho e Gil.

Teixeira (Armando Cortez)
É um homem de contrastes. Como contabilista da firma de André, é tímido, inseguro, acomodado, conservador, um tanto ou quanto tonto e ultrapassado. Tem um quê de Conselheiro Acácio. Quando Tó lhe cantar o canto da sereia, não hesitará e mostrará a sua outra face. Solteirão, desfaz-se em rapapés de fina sedução com Amélia.

Marta (Lídia Franco)
Mulher elegante, que veste bem, distinta, elegante e confidente. É o braço-direito de André Guimarães, a quem, se pudesse, organizava o coração. Aziaga mentira se conta dela: que vai tentando evitar que André tenha casos sérios para que o estilista repare nela. Sonha ter vida longa com o patrão.

Fátima (Dulce Guimarães)
Secretária de André. Replica, às vezes, insolentemente com Teixeira, ficando atrevidota e replicativa e fazendo notar as manigâncias do contabilista.

Wanda (Manuela Carlos)
Manequim em final de carreira. Sonha que está no apogeu e que saiu em muitas revistas que só se vendem no estrangeiro. Decidida e ardilosa, não olha a meios para atingir os seus fins. Tenta seduzir André, que não está muito para aí virado. Vai dividir-se entre Tó e Armando, fazendo deles seus fantoches. Nas suas chantagens e artimanhas, conta ainda com a ajuda de Ana Rita.

Tó Gonzaga (Virgílio Castelo)
Playboy rico e pouco escrupuloso, é filho de um empresário nortenho de grande reputação na indústria têxtil. Tentará corromper Teixeira. É um dos namorados de Wanda.

Célia (Florbela Queiroz)
Rececionista no consultório médico do professor Senna Rocha, é a “outra” de Luís. Pitoresca, de pêlo na venta, é desembaraçada e pispineta, soltando sempre um aparte. Preza a sua independência e gosta de fazer Luís sofrer.

Armando (Júlio César)
Irmão de Célia, é o malandro lisboeta que vive de expedientes. É um safado com pinta, que usurpa “os gajos da alta”. Vive ancorado na irmã, a quem frequentemente pede asilo. Tem Lurdes presa pelo beicinho.

Lurdes (Rosa do Canto)
Colega de Célia, parceira dos mexericos lidos nas fotonovelas e na tagarelice em relação aos clientes. Namora Armando, que ardilosamente a ludibria. É pouco esperta e infeliz.

Professor Senna Rocha (Ruy de Carvalho)
Cirurgião de renome, patrão de Célia e Lurdes, é um homem muito culto e requintado. Os congressos e a agenda sobrecarregada fazem com que frase rotineira saia da boca das rececionistas, em jeito de ladainha: “Consultório médico! O senhor professor não está”. Vai operar Maria do Carmo e cria com ela uma relação especial, levando-a a um concerto de Mozart e pedindo-lhe que o trate apenas por “João”.

Fernanda (Natalina José)
Empregada de Célia. Língua comprida e um poço de desgraças. Fala a Lurdes de uma bruxa frequentada pela patroa das quartas e sextas-feiras, a Madame Solange.

Vasco Mendes (Carlos Daniel)
Pai de Ritinha. É divorciado e vive com a filha. Juntamente com Miguel, tem uma pequena agência de publicidade. Será o impulsionador da carreira de Catarina. Pai extremado, vai ajudar Isabel a desfazer-se das suas teias de aranha.

Ritinha (Inês Vaquinhas)
Filha de Ana Rita e de Vasco. Um amor de criatura. Tem oito anos e é aluna de Isabel.

Ana Rita (Guida Maria)
Ex-mulher de Vasco, mãe de Ritinha. Foi manequim e agora é hospedeira de bordo. Vive uma relação tumultuosa com Pedro Beja. Não gosta que a filha fique com as mãos a cheirar a manteiga. Lutará pela tutela de Ritinha e está disposta a tudo para sabotar a relação de Vasco e Isabel.

Pedro Beja (Tozé Martinho)
Companheiro de Ana Rita. Cantor de charme, um tanto egoísta e vaidoso. Vive para a música, que gosta de ouvir a toda a hora. Atua em boîtes ou no estrangeiro, para os emigrantes.

Miguel (Vítor de Sousa)
Vizinho e sócio de Vasco na agência de publicidade. Está sempre pronto a ajudar (desde que não lhe dê muito trabalho).

Leonor (Ana Bola)
Mulher de Miguel. É uma pessoa descomplicada, embora tenha alguns problemas relacionados com a sua função de mãe. Trabalha no arquivo de um semanário.

Diogo
O irrequieto filho de Miguel e Leonor.

Maria (Margarida Carpinteiro)
Professora, colega de Isabel, é uma mulher inteligente, racional, emancipada, algo idealista. Vive com Lena, mas com a partida desta para Viseu, fica sozinha.

Lena (Filomena Gonçalves)
Colega de Isabel e de Maria, com quem divide um apartamento. Nasceu em Viseu e por lá sonha voltar a viver, não hesitando em largar a vida na capital.

Zé Ricardo (João de Carvalho)
Noivo de Lena. Está a terminar o curso de medicina, findo o qual planeia mudar-se com ela para uma aldeia em Viseu, tornando-se um “João Semana”.

Cândido (António Fonseca)
É um complicado, atadinho, desastrado. Tem uma relação tragicómica com Maria, com quem vive um amor indefinido, travestido de amizade. Vai ficar noivo de Elsa, que o descomplica.

Elsa (Cláudia Cadima)
Substitui Lena como professora no colégio. Mora no mesmo prédio que Cândido e torna-se sua assistente quando este informatiza os arquivos do colégio, ficando em enlevo por ele.

Major Emídio (Nicolau Breyner)
Pai de Elsa. Militarão. Fuma cachimbo. Gosta de Cândido por ser rico e formado. Preconceituoso e racista, não acha muita piada à súbita presença do irmão de Cândido.

Palmira (Laura Soveral)
Mãe de Elsa. Simpática e cortês com Cândido, embora o ache estranho.

Altino
Meio-irmão de Cândido pela parte do pai. É médico como o seu progenitor. Interrompe o almoço de noivado de Elsa e de Cândido, deixando o Major pelos cabelos e desconfiado.

Sr. Monteiro (Tony de Matos)
Patrão de Catarina. Boa pessoa. Incentivará a sua carreira de modelo.

Raul (Fernando Mendes)
Um dos ajudantes de Armando nos sarilhos. Biscateiro. Tenta cortejar Luzia. Diz-se sócio de uma firma de charutos e envolve-se num negócio de cassetes de cursos de inglês.

Pente Fino (José Raposo)
Outro dos “amigos do alheio” de Armando. Dá golpes e golpadas.

Castanhola (Aníbal Coelho)
Outro membro do bando comandado por Armando.

Aurora Trindade (Maria Dulce)
Cliente de Luís no banco. Ostenta uma pose de empresária honesta e não gosta que coloquem em causa os seus princípios, o que não a impede de procurar Luís para um negócio “por debaixo do pano”, que os fará ganhar muito dinheiro.

Artur (Norberto de Sousa)
Engenheiro. Leva Célia a jantar e descobre-lhe os maus fígados. Tenta levá-la para um “sítio bem sossegado, onde verão cassetes sugestivas” como aperitivo para a noite. Célia não aceita e, esbaforida, deixa-o sem a conquistar e a pensar que talvez tivesse sido melhor convidá-la para ir ver desenhos animados…

Pinto (Rui Mendes)
Inspetor da polícia Judiciária chamado ao apartamento de Célia para deslindar o autor dos disparos a Célia e a Raul.

Coelho (Rui Luís)
Inspetor da Polícia Judiciária. Acompanha o Inspetor Pinto nas investigações.

João Carlos (Zé Arantes)
Namorado de Catarina. Modelo. Espicaça-se com a aproximação subtil de André à modelo, e enciumado, acaba a relação com ela.

Chico (Luís Pavão)
Serve de isco para Céu instigar Rosarinho contra Gil. Manhosa, faz crer a Rosarinho que ela está interessada nele.

Madame Solange (Simone de Oliveira)
“Bruxa” da alta sociedade. Até ministros recebe. Gosta de servir um bom chá e detesta ser interrompida. Acerta no que diz, destruindo alguns sonhos de Lurdes.

Senhoria de Teixeira (Manuela Cassola)
Contrafeita, abre a porta do quarto de Teixeira para que a polícia o passe a pente fino. Diz que o inquilino nada tem dele. Está a juntar um pé-de-meia para ter um enterro decente, pois teme ser atirada para a vala comum. Azeda e somítica. Brada contra os republicanos, “comunistas” que lhe roubaram espaço para a oração.

António Gonzaga (João Sarabando)
Industrial têxtil do Porto. Pai de Tozinho.

Passerelle era um projeto de Ana Zanatti e Rosa Lobato Faria de que há muitos anos se falava. Com efeito, desde 1983 era possível encontrar pequenas notas a seu respeito na imprensa. A título de exemplo, mostramos uma manchete do jornal Se7e de 1985.

Quando começou a ser produzida, quatro anos depois, os 120 episódios estavam já completamente escritos, o que fez com que o texto tivesse de ser atualizado.

Foram várias as situações que as autoras utilizaram para fazer referência ao mundo da moda:

– André Guimarães (Alexandre de Sousa) era proprietário de uma fábrica de confeções.

– As manequins Wanda (Manuela Carlos) e Susana (Ana Maria Lucas) passavam modelos para esta fábrica. No início da novela, Susana despede-se, pois vai dar aulas numa escola de manequins.

– O sonho de Catarina (Ana Padrão) era ser manequim. Numa cena recheada de humor, o entusiasmo da rapariga faz com que a mãe, Maria do Carmo (Carmen Dolores), e a tia, Isabel (Maria David), vão no seu encalço e comecem a desfilar com utensílios de cozinha.

– Leonor (Ana Bola) é convidada para dirigir o suplemento de moda do semanário onde trabalha.

– Luzia (Isabel Gaivão), empregada da família Guimarães, aproveitava a ausência dos patrões para fazer passagens de modelos às escondidas, utilizando as roupas da menina Rosarinho (Julie Sergeant).

Lídia Franco mostrou-se descontente com o papel de Marta. No final da novela, questionada sobre a sua personagem, limitou-se a responder que “vestia-se muito bem”.

No final, Wanda e Tó (Virgílio Castelo) têm um acidente de carro que provoca a morte de ambos. No entanto, essa cena acabou por nunca ser mostrada, devido à falta de patrocínio para o carro que seria destruído em cena. Apenas ficamos a conhecer este desfecho quando Lurdes (Rosa do Canto) comenta o acontecimento com Fernanda (Natalina José).

Se na novela André Guimarães e Wanda não se suportavam, bem diferente era a situação na vida real, já que Alexandre de Sousa e Manuela Carlos eram e são casados até hoje.

Tony de Matos, o famoso cantor romântico que interpretava o Sr. Monteiro, chefe de Catarina (Ana Padrão), faleceu em junho de 1989, poucos meses após o término da novela.

Luís Alberto faria o papel do inspetor Figueiras, colega do inspetor Pinto (Rui Mendes), e o seu nome chegou a ser creditado no genérico. No entanto, o papel acabou por ser entregue a Rui Luís, passando o personagem a chamar-se Coelho. Contudo, Luís Alberto apareceu de fugida em duas cenas, ambas gravadas na receção do consultório médico.

Vários atores do elenco de Passerelle foram aproveitados nas produções seguintes da Edipim, nomeadamente as séries Pisca-PiscaChuva de Maio e Nem o Pai Morre…

Na trama, Célia (Florbela Queiroz) e Lurdes (Rosa do Canto) eram rececionistas do consultório do Professor Senna Rocha (Ruy de Carvalho), médico de Maria do Carmo. O jornal Se7e publicou um artigo sobre estas personagens, entrevistando duas rececionistas reais, que as classificaram de “ridículas”, por lerem fotonovelas e bisbilhotarem a vida particular dos clientes…

A menina Ritinha foi vivida por Inês Vaquinhas, sobrinha de Guida Maria (sua mãe na novela). A pequena intérprete confessou à revista Maria não gostar de Nuno Teixeira, o realizador. Porquê? “Porque é um chato. Obriga-me a decorar muita coisa e não me deixa tossir”…

A imprensa e o público em geral fizeram um balanço positivo da novela.

Houve, no entanto, algumas críticas em relação ao texto. A TV 7 Dias fez uma pesquisa sobre a opinião do público e de alguns artistas, à qual Henrique Viana afirmou sentir a sensação de que “as personagens estão sempre sentadas a falar umas com as outras e de que o diálogo não adianta. Parece-me que Passerelle peca por ter pouca ação e pouco movimento”. Já Vera Roquette considerou a novela “vazia”.

Na mesma pesquisa, Fernanda Borsatti e Herman José consideraram Paulo Trindade, o intérprete de Gil, um dos destaques da novela. No entanto, aqui as opiniões pareciam não ser unânimes, pois houve mesmo quem o considerasse o pior ator do mundo…

Entre os atores que mais se destacaram, podemos referir Helena Isabel como a intriguista Céu, que a toda a hora dava mostras do seu mau feitio.

Também a criada Luzia despertou alguma antipatia do público. Embora não fosse uma vilã, Luzia desejava tudo o que Rosarinho tinha, desde as roupas ao namorado, Gil. Isabel Gaivão, a sua intérprete, chegou mesmo a ser ameaçada na rua!

A banda sonora – que, infelizmente, não chegou a ser comercializada – incluía, para além de diversos temas instrumentais dirigidos por Thilo Krasmann, as seguintes canções:

– Como Se Fosse um Fado, na voz de Teresa Pinto Coelho, era o tema de Maria do Carmo (Carmen Dolores);

– Pelos Olhos da Noite, interpretado por Tony de Matos, embalava as cenas de Armando (Júlio César);

– Deixar nas Tuas Mãos Tudo o Que Eu Amo, por Carlos Mendes, era o tema de Catarina (Ana Padrão);

– Por fim, o tema de Wanda (Manuela Carlos) era interpretado por Nucha.

Rosa Lobato Faria e Thilo Krasmann foram convidados do programa Às Dez exibido no dia 09/05/1990, com apresentação de Ivone Ferreira e dedicado ao tema “telenovelas”. Passerelle, que fora a última novela portuguesa exibida em horário nobre até à altura, foi bastante citada. Também Paulo Trindade esteve presente e manifestou o desejo de participar numa nova telenovela, após cumprir o serviço militar.

Rosa Lobato Faria
Thilo Krasmann
Paulo Trindade

Passerelle foi reposta nas manhãs da RTP 1, de 27/01 a 04/07/1992. Também teve reposições na RTP África (entre 20/02 e 16/05/2002) e na RTP Memória (pela primeira vez, entre 28/11/2005 e 24/02/2006).

Partilhar:

Passerelle