Vickie, o Viking

Título original:
Wickie und die starken Männer (Alemanha)
小さなバイキングビッケ
Chiisana Viking Vick (Japão)

Ano de produção:
1974

Exibição:
1974-1976 (RTP 1 / RTP 2)

Número de episódios:
78

Música:
Christian Bruhn
Karel Svoboda

Produção:
Taurus Film
Zuiyo Enterprise

Versão portuguesa (RTP)

Tradução:
Ana Sofia Pissarro

Direção de atores:
Jorge Paupério

Vozes:
Jorge Paupério – Halvar
Jorge Vasques
Jorge Seabra
Mário Santos
Paula Seabra – Ilva / Gilby
Raquel Rosmaninho – Vickie
Rui Oliveira – Faxe / Tjure
Rute Pimenta – Ilvy

Uma produção:
RTP Meios de Produção

Executada por:
Somnorte Estúdios de Som, S.A.

Esta é a história de algumas das aventuras de Vickie, um menino viking “medroso”, mas que, com inteligência e boa vontade, consegue mais do que pela força e coragem dos seus companheiros.

E esta é também a história de um grupo de bravos guerreiros, os Vikings de Flake, que têm por chefe Halvar, o pai de Vickie. Apesar de toda a “bravura”, os Vikings estão sempre dependentes de Vickie e da sua inteligência, para se saírem airosamente dos sarilhos em que a sua “coragem” os mete.

Vickie
Pequeno herói dos Vikings e filho único de Halvar, chefe dos Vikings de Flake. Detesta o uso da força e é um nadinha medroso, mas, muito inteligente e matreiro, consegue sempre livrar-se dos apuros.

Ylvi
A pequena amiga de Vickie. Viva, loira e um pouco precoce, já decidiu que, quando for mais velha, há-de casar com Vickie. Vickie e Ylvi são companheiros inseparáveis quando os Vikings descansam das suas aventuras na pequena aldeia de Flake.

Halvar
Pai de Vickie. É o chefe e o melhor guerreiro da pequena aldeia de Flake, famoso pela sua enorme força e pela habilidade no manejo de armas.

Ylva
Mãe de Vickie. Em casa quem manda é ela, mas procura que reine sempre a harmonia entre o tímido Vickie e o seu impulsivo pai.

Urobe
Sobrevivendo a muitas aventuras, é agora o mais velho e o mais sábio dos Vikings. Por isso, os seus conselhos são sempre dignos de serem seguidos.

Snorre
Excêntrico, pequeno e, ainda por cima, bulhento e vaidoso, é capaz de bulir com os nervos de qualquer pessoa.

Tjure
Tem muito mau génio e quer sempre resolver os problemas pela força. Por isso está constantemente metido em lutas, muitas vezes com o seu companheiro Snorre.

Faxe
Um gigante com coração de passarinho. Com um apetite voraz, tímido, corando com facilidade, podemos considerá-lo um dos maiores amigos de Vickie.

Gorm
Com um caráter sensível, ora está entusiasmado, ora terrivelmente deprimido. É um dos mais fiéis companheiros de aventuras de Halvar.

Ulme
O bardo. Está sempre a cantar e a tocar harpa. A sua música é um pesadelo para os guerreiros Vikings, mas eles aturam-no porque é o cozinheiro de bordo.

Gilby
Uma espécie de rival de Vickie. É mais forte do que ele, embora não tenha a mesma astúcia.

Sven, o Terrível
Guerreiro mau e feroz, usa como arma uma terrível bola de ferro cheia de picos. É o maior inimigo dos Vikings.

Pokka
É o braço direito do terrível Sven. Como este, é um feroz inimigo dos Vikings de Flake e o seu riso terrífico faz gelar o sangue nas veias dos mais valentes guerreiros.

Baltac
Chefe dos vikings de Schlack, uma aldeia vizinha. É o grande rival de Halvar.

1. A aposta

Vickie é um rapaz que sonha em viajar pelos mares com os outros Vikings da sua aldeia. Ao contrário do pai, Halvar, que usa a força do seu corpo para enfrentar os perigos, Vickie prefere usar a força da mente. Ilva elogia a inteligência do filho e Halvar, querendo contrariar a sua tese, propõe um desafio ao filho…


2. A armadilha
Apesar de ter autorização do pai para participar nas aventuras marítimas, Vickie tem de entrar a bordo como passageiro clandestino, dentro de um barril. Como detesta a violência, ninguém confia nele. Os Vikings assaltam uma cidade e ficam presos lá dentro. Conseguirão livrar-se desta armadilha?


3. A fuga
Os Vikings estão na prisão e não sabem como vão sair deste apuro, até que Vickie usa um truque para conseguir ir buscar um peixe-serra a bordo do navio. Com o peixe, os Vikings serram um buraco na porta da prisão e fogem. Os Vikings deparam-se com mais problemas, mas o Vickie está lá para resolvê-los…


4. Uma dor de dentes
Snorre, um dos membros da comunidade Viking, está com uma terrível dor de dentes e, por isso, fica mais violento do que o habitual. Mesmo a tempo, antes dos navios de “Sven, o Terrível” aparecerem no horizonte, Vickie consegue aliviar o sofrimento de Snorre…


5. O terrível Sven
“Sven, o Terrível” é um perigoso aventureiro que assalta os navios Vikings quando vão cheios das riquezas dos saques. Desta vez, está a perseguir o navio de Halvar e seus homens e está quase a fazer a captura. Mesmo a tempo, Vickie consegue pôr as suas velas a arder…


6. Engano na alfândega
Navegando com um bom saque, os Vikings estão de regresso à sua aldeia. Halvar está de mau humor. Tem de pagar muitos impostos aos dinamarqueses e, além disso, está a ser perseguido por Sven. Vickie engendra um plano para enganar os guardas dinamarqueses e ainda desviar as suas atenções para Sven.


7. Dezanove lobos
Em Flake, os Vikings estão a repartir o saque da expedição marítima. Vickie também deverá receber a sua parte, mas oferece-a como prémio para o vencedor de uma competição de caça de lobos. A competição começa de manhã e, à noite, já não existe um só lobo nas florestas em redor de Flake. Será que Vickie tinha alguma intenção especial?


8. O ataque
Quando, um dia, o terrível Sven assalta Flake de surpresa, deixando toda a aldeia num caos, Vickie tem uma ideia para derrotar Sven: liberta os lobos que tinham sido apanhados. Sven e os seus homens desatam a fugir a toda a velocidade…


9. Na Ilha das Gaivotas
As crianças da aldeia estão a construir uma jangada porque querem ir até à Ilha das Gaivotas. Vickie não está muito entusiasmado com a ideia, mas vai também. Esta expedição é palco de todo o tipo de mal-entendidos e aflições. Mas, no final, Vickie acaba por travar amizade com as focas.


10. A promessa
Vickie promete a Ylvi levá-la à grande festa da aldeia vizinha. Mas, entretanto, Vickie tem de participar numa expedição. Os Vikings querem atacar um navio holandês. Só com um truque Vickie consegue regressar a Flake e cumprir a tempo a promessa.


11. O gigante da Normandia
Um dia, Vickie e Ylvi encontram Snorre desfalecido na praia, perto da aldeia. Snorre conta-lhes que os Vikings foram feitos prisioneiros em Inglaterra e que ele foi o único a conseguir escapar. Quer agora arranjar ajuda para os homens em apuros. Vickie pede aos habitantes da aldeia que fabriquem armas de madeira e parte com Snorre para Inglaterra…


12. A libertação
Quando Snorre e Vickie chegam a Inglaterra para libertar os Vikings, deparam-se com o chefe dos gigantes de olhos vermelhos. Entretanto, Snorre consegue trocar as armas dos temíveis guerreiros pelas armas de madeira. Em seguida, Snorre e Vickie liberam os seus companheiros e envolvem-se numa batalha. Os Vikings saem naturalmente vencedores e libertam a costa inglesa dos temíveis gigantes de olhos vermelhos. É a paz que regressa.


13. O Vickie faz um amigo
No caminho para casa, vindos de Inglaterra, os Vikings procuram água e são cercados por Sverker e seus seguidores. O forte Sverker, com a sua espada lendária fabricada por anões, era até então invencível. Vickie quer tentar enganar Sverker. Sverker segue Vickie e agita a espada com tanta força que acaba por desfazer um rochedo e bater com a cabeça. A partir daqui, toda a sua atitude se altera, passando a ser Sverker, o Brando…


14. Água na masmorra
Os Vikings fazem planos para atacar um castelo na Francónia e não se deixam convencer pelas advertências de Vickie. Durante a investida, os Vikings são feitos prisioneiros, mas Faxe, Ulme e Urobe conseguem fugir. Regressam ao navio para pedir ajuda a Vickie e contam-lhe que está a ser preparada uma festa no castelo. É aí que Vickie tem a boa ideia de oferecer os seus serviços como ajudante de cozinha, para assim conseguir entrar no castelo…


15. A fuga disfarçada
Vickie é admitido como ajudante de cozinha ao serviço dos Francos. Os preparativos para a grande festa vão de vento em popa e Vickie vê a sua oportunidade de agir quando toma conhecimento da chegada de um grupo de comediantes. Vickie aprisiona o grupo num armazém e tira-lhes as roupas. Deste modo, os Vikings podem escapar disfarçados de bobos da corte…


16. Canalizações
O cobrador de impostos chega a Flake com o seu séquito armado até aos dentes. O seu poder é tão grande que os Vikings nada podem fazer com as armas que têm. Vickie tem finalmente a ideia de atacar os invasores com um tubo das condutas de água que instalou ao longo da aldeia. O resultado desta ideia surpreendente foi uma lição para o cobrador de impostos, que se retira derrotado, levando a sua trupe consigo.


17. Incêndio perigoso
Deflagrou um grande incêndio em Flake e a aldeia está em perigo. Os Vikings não sabem o que fazer. Vickie lembra-se do seu truque de antes, reconstrói as condutas de água e apaga o fogo. A partir de agora, Flake já tem o seu próprio serviço de bombeiros.


18. O pombo-correio
Vickie e Ylvi arranjaram uma nova ocupação: decidiram amestrar pombas. Halvar não vê com bons olhos esta forma de ocupar o tempo, por não lhe parecer suficientemente masculina. No entanto, para Vickie, esta nova experiência assumirá em breve uma grande importância. Quando Gilby e Ylvi saem de barco para o mar para fazer voos experimentais com os pombos, acabam por entrar em apuros…


19. O barco voador
Os homens de Halvar enviaram um pombo para Flake. É desta forma que Vickie fica a saber que os Vikings estão novamente em dificuldade. Os Magiares estão a barrar-lhes o caminho e todas as tentativas de avançar saem goradas. Com pêlos de animais, Vickie reconstrói um enorme papagaio de peles, ajudando assim os Vikings a fugir com os seus barcos.


20. O rei que comia demais
Os Vikings chegam ao país dos Búlgaros e são aprisionados por um rei permanentemente atormentado pela fome. Engendrando um ardil, Vickie e os Vikings conseguem fugir do castelo. Só Halvar fica para trás, como refém do rei. Disfarçados de cozinheiros da Etiópia em viagem por todo o mundo para apresentar a gastronomia do seu país, Vickie e os seus amigos voltam ao castelo e o rei sucumbe, vítima do seu próprio vício.


21. A dona do temporal
De regresso a Flake, os Vikings sentem na pele a vingança dos Magiares. Um forte vento contrário impede o barco de avançar. Vickie e Snorre conseguem esgueirar-se em território inimigo. Vickie consegue colocar pó de espirro e de comichão nos foles de sopro das máquinas de vento. Quando os Magiares se apercebem do truque, já é tarde! A espirrar e a coçar, ficam todos impróprios para combate e os Vikings podem avançar com o seu navio.


22. O tesouro secreto
Quando os Vikings regressam a Flake, Sven e os seus homens tinham saqueado a aldeia e queriam agora aprisionar as mulheres e as crianças para assim obterem os tesouros conquistados pelos Vikings. Halvar quer, acima de tudo, salvar o seu tesouro. Com a ajuda de Vickie, mesmo no último minuto, conseguem expulsar Sven e o seu bando. É então que Halvar revela o segredo da sua arca do tesouro…


23. A vingança do peixe-serra
O barco dos Vikings afundou! Sob a supervisão do carpinteiro Tjure, deverão construir um novo barco. Mas, mal acabam, começa novamente a entrar água e o barco novo também se afunda. Os Vikings apercebem-se de que os peixes-serra estavam a vingar-se por Tjure lhes ter tirado as serras. Vickie quer fazer as pazes com os peixes e devolve as serras. Os peixes ficam satisfeitos e os Vikings lançam-se ao trabalho, para construir o terceiro barco…


24. A noiva do Faxe
Os Vikings tentam convencer Faxe a casar-se, já que Halvar já lhe escolheu a noiva. Infelizmente, Faxe é muito tímido e ocorre um mal-entendido que ameaça este empreendimento. Faxe é submetido a uma prova de coragem e tem de mergulhar até ao fundo do mar para recuperar uma jóia. Vickie tem a ideia de construir um sino de mergulho. Faxe encontra a jóia e pode entregá-la à sua prometida, que fica muito orgulhosa do seu bravo noivo…


25. O barco fantasma
Um dia, ao alvorecer, Faxe descobre um navio-fantasma mesmo em frente a Flake. É grande a agitação entre os Vikings e ninguém ousa inspecionar o navio abandonado. Por fim, Vickie, Gilby e outras crianças da aldeia constroem uma jangada e remam até à embarcação. Chegando lá, Vickie tropeça numa caixa e encontra um mapa da Gronelândia. Os Vikings decidem fazer-se ao mar até à Gronelândia, sonhando com um tesouro que aí estará à sua espera…


26. O tesouro gelado
Após uma longa viagem, os Vikings chegam à Gronelândia e começam a procurar o tesouro. O chefe dos Esquimós indica-lhes o caminho até ao palácio de gelo, onde estão supostamente guardados os tesouros. Os Vikings encontram a caverna onde está construído o palácio e descobrem montanhas de ouro. Mas não tardam a perceber que o tesouro não está ao seu alcance, já que está enterrado por trás de uma grossa camada de gelo. Quando tentam partir o gelo, todo o palácio começa a ruir e, com ele, desaparece todo o ouro…


27. A baleia bebé
Pela primeira vez, os Vikings iniciam a viagem de regresso a casa sem levar consigo um saque. Os homens estão desanimados. No caminho para Flake, descobrem uma pequena ilha, onde têm a esperança de encontrar pelo menos alguma coisa para comer. Mas afinal é apenas uma baleia bebé, que acabam por devolver à mãe. Pouco depois, vêem-se perseguidos por Sven e o seu bando. Mas Vickie tem outra das suas ótimas ideias. Com a ajuda da mãe baleia, agradecida, conseguem fugir novamente às garras de Sven.


28. Problemas com as gaivotas
Já não há mais nada para comer a bordo do barco Viking e ainda não chegaram a Flake. Quando Snorre e Tjure apanham uma gaivota doente e a querem comer, só com muito esforço Vickie consegue impedi-los. Vickie trata da gaivota até ficar boa e liberta-a, para sorte de Halvar e dos seus homens. É que, quando Sven aparece no seu encalço e tudo faz parecer que, desta vez, não haverá hipótese de escapar, a gaivota traz a salvação, mesmo no último momento…


29. Uma aventura na Grécia
Os Vikings empreendem mais uma grande viagem. Quando encontram um navio grego pelo caminho, têm a esperança de fazer um grande saque. O capitão convence-os a acompanharem-no até à Grécia, de onde poderão levar o tesouro do rei. Os Vikings caem nesta armadilha e o rei atrai-os para um labirinto. Aí encontram magníficos tesouros, mas não há forma de saírem de lá. Por fim, Vickie consegue retirar os seus amigos do labirinto, trazendo o tesouro. Mas ainda estão à mercê do rei…


30. As Olimpíadas dos Vikings
Os Vikings – e o tesouro que saquearam – continuam presos no fosso do rei da Grécia e não sabem o que fazer para escapar. O astuto rei propõe a Halvar uma competição: se os Vikings vencerem, o rei promete que os libertará. Efetivamente, os Vikings ganham os jogos olímpicos mas o rei da Grécia tem uma nova ideia ardilosa, pelo que Halvar e os seus homens continuam presos. Vickie acompanhou os acontecimentos com atenção e encontra finalmente uma forma de enganar o rei…


31. Uma surpresa desagradável
Os ânimos estão ao rubro no regresso a Flake. Os copos estão cheios do vinho do saque e todos anseiam por chegar a casa. Quando chegam a Flake, a perplexidade é total. A aldeia está abandonada, as crianças esconderam-se na floresta e as mulheres desapareceram. Por fim, Halvar fica a saber que os Dinamarqueses assaltaram a aldeia e que levaram as mulheres para a Dinamarca, como reféns. Os Vikings rumam à Dinamarca para resgatar as suas mulheres…


32. Fuga do castelo
Os Vikings querem salvar as suas mulheres das mãos dos Dinamarqueses, mas caem numa armadilha e ficam prisioneiros do rei da Dinamarca. As mulheres de Flake tornaram-se entretanto tão preciosas para o rei que este não as quer libertar, nem mesmo por uma grande quantia em dinheiro. Viraram o castelo de pernas para o ar, organizaram-no de cima a baixo, mas foram sobretudo os seus dotes culinários que o conquistaram. Dotes esses que serão a perdição do rei…


33. Um patife encantador
Ilva está entusiasmada com o Sr. Lumperich, que um dia lhes fez uma visita. O Sr. Lumperich é para ela um homem fascinante, para além de ter trazido algumas preciosidades que gostaria de oferecer aos habitantes da aldeia. Só demasiado tarde os Vikings se apercebem de que o Sr. Lumperich está a tentar enganá-los com os eus presentes…


34. A pedra da discórdia
Todos os anos, as aldeias de Flake e Schlack disputam amargamente para decidir qual das duas poderá celebrar a maior festa Viking do ano. Mais uma vez, os homens de Flake e de Schlack preparam-se para a batalha. No entanto, Vickie, filho do chefe dos Vikings de Flake, e Finn, filho do chefe dos Vikings de Schlack, não conseguem compreender por que motivo as aldeias não podem fazer a festa juntas…


35. O Vickie aprende a voar
Os Vikings têm a intenção de fazer uma visita à Rússia. No caminho, deparam-se com uma violenta tempestade. Vickie é atingido por uma rajada de vento e é levado pelos ares, com um mastro partido e uma vela, bem acima do mar, até chegar a uma pequena ilha deserta. Mas as suas amigas focas encontram-no. Pelo menos já não está tão sozinho…


36. O reencontro
Vickie continua preso na ilha e pensa no que terá acontecido aos Vikings e ao barco. Com ajuda das focas, decide finalmente procurá-los. Mas não há sinal de Halvar e dos seus homens. Os ânimos dos Vikings nunca estiveram piores. O barco Viking, destruído, acabou por encalhar e Halvar está perdido de tristeza. Já não acredita que seja possível salvar Vickie. Mas qual não é a sua alegria quando Vickie encontra os seus amigos na ilha…


37. O chefe Humbelkappa
Os Vikings chegam a um novo continente e ficam muito contentes com a sua descoberta. Quando se preparam para inspecionar ao detalhe esta nova terra, dão-se conta de que não estão sozinhos. São recebidos por Índios e os valentes Vikings perdem repentinamente toda a sua valentia.


38. Uma prenda original
Os Vikings são recebidos como hóspedes dos Índios Winka e beneficiam da hospitalidade do chefe e os habitantes da aldeia. Os pacíficos Winkas são artesãos talentosos e construíram uma aldeia muito prática e cómoda com as suas boas ideias. Os Vikings têm dificuldade em encontrar uma prenda de agradecimento original para oferecer aos seus novos amigos. Por fim, acabam por conseguir surpreender os Winkas com uma grande novidade tecnológica…


39. O ataque à aldeia dos Índios
Os Vikings estão a viver com os Winkas há já dois meses quando, um dia, Snoppe, um Viking particularmente selvagem e malvado, aparece na costa com o seu navio. Halvar quer por tudo evitar que Snoppe assalte os pacíficos Winkas e fica prisioneiro de Snoppe. Os Vikings conseguem libertá-lo novamente, mas ganharam um grande inimigo…


40. O Snoppe perde os caracóis
Do alto dos seus caracóis louros, Snoppe está furioso com Halvar porque este lhe conseguiu escapar. Snoppe está decidido a iniciar uma guerra contra os Vikings e os Índios Winka. Os Vikings tentam encontrar uma forma de se livrarem de Snoppe sem terem de lutar, já que querem evitar a todo o custo que os pacíficos Winkas sejam saqueados. É então que os Vikings têm um golpe de sorte. Com a honra profundamente ferida, Snoppe tem de abandonar a batalha…


41. A despedida dos Winkas
Festeja-se na aldeia dos Winkas. Snoppe dos caracóis louros perdeu os seus gloriosos caracóis e tem de retirar perante as risadas dos seus soldados. Mas não tardou a que os soldados de Snoppe se fizessem ao mar – com Snoppe a regressar cabisbaixo –, pelo que chegou a altura de também Halvar e os seus homens partirem. Com o navio bem carregado, iniciam então o regresso a casa.


42. A chegada do circo
Um circo montou tenda em Flake. Os habitantes da aldeia participam no programa do espetáculo, proporcionando muita alegria e algumas surpresas. Mas, no meio deste ambiente de festa, irrompe o cobrador de impostos com os seus funcionários. Os Vikings têm a agradecer às gentes do circo por, no final, o cobrador ter tido de se retirar com a promessa de nunca mais cobrar impostos em Flake.


43. Halvar ganha uma batalha
Halvar de Flake e Baltac de Schlack disputam violentamente e alto e bom som quem deverá ser escolhido como chefe, acabando por declarar guerra. As duas aldeias apressam-se nos preparativos para a batalha. Baltac tem muito a defender, já que detém o título há 20 anos. Mas Halvar também aposta tudo para, finalmente, se tornar chefe.


44. À procura de um tesouro
Halvar e Baltac forjam grandes planos: desta vez, pretendem sair com os seus homens numa investida de saque conjunta. Mas, por enquanto, as mulheres de Flake estão a estragar-lhes os planos, já que consideram que os seus homens as devem ajudar mais nos trabalhos domésticos. Com a ajuda de Vickie, Ilva quer dar uma lição aos Vikings…


45. O apelo da Bulgária
Um dia, Vickie e Ylvi encontram na praia um estrangeiro que tinha sido lançado pelas ondas. Trata-se de um mensageiro do rei da Bulgária, com o pedido urgente de ajuda contra os perigosos homens cinzentos. Os Vikings lançam-se na viagem e, efetivamente, conseguem chegar ao rei da Bulgária, atravessando o acampamento dos homens cinzentos. No entanto, pouco depois, os homens cinzentos atacam. Os Vikings conseguem defender-se, mas permanece a incerteza sobre se os perigosos homens cinzentos se deram mesmo por vencidos…


46. O plano dos Bárbaros
Os Vikings montam guarda junto ao castelo do rei da Bulgária, já que contam com outro ataque dos perigosos homens cinzentos. E foi isso mesmo que aconteceu: mesmo a tempo, descobrem que todos os homens cinzentos estão a escavar um túnel para penetrarem no castelo sem serem vistos. Mas, logo agora que todos contavam com as suas boas ideias, Vickie sofre novamente de terríveis dores de dentes…


47. Os Bárbaros não desistem
Bullermann está furioso porque, pela segunda vez, os homens cinzentos foram derrotados pelos Vikings e tiveram de fugir, pelo que jura vingança aos homens de Flake. Efetivamente, os homens cinzentos não tardam a engendrar um novo plano: querem conquistar o castelo do rei da Bulgária atacando sobre andas. Os Vikings estão assim novamente perante um ataque dos homens cinzentos. Bullermann tem fortes esperanças de que, desta vez, o forte e todo o território cairão nas suas mãos…


48. O novo ataque do Bullermann
Bullermann viu-se forçado a aceitar aquela que já é a terceira derrota, mas não desiste do combate contra os Vikings. Meteu na cabeça que quer atacar o forte e, a cada assalto, vai ficando cada vez mais furioso. E assim continua a guerra. Bullermann concebe um novo plano de assalto e está convicto de que conseguirá conquistar o forte até ao entardecer…


49. Uma prenda do Bullermann
A guerra contra os homens cinzentos ainda não chegou ao fim. Após a sua última derrota, Bullermann pensou num plano genial – um enorme cavalo de madeira, alto como uma casa, deverá ludibriar os Vikings. Bullermann pensa que vai alcançar os seus objetivos, mas a história tem um fim imprevisto…


50. Presos no gelo
Depois de uma viagem cheia de aventuras até ao Pólo Norte, os Vikings ficam encalhados no mar gelado. Os mantimentos estão a chegar ao fim e já tiveram mesmo de começar a queimar as tábuas do convés. Mas recebem ajuda mesmo a tempo, quando encontram uma família esquimó nesta terra inóspita.


51. Vickie e os moinhos de vento
Atraídos por um rico saque, os Vikings caem numa armadilha. O rei da Holanda toma-os prisioneiros e terá com certeza planos para eles: diz-lhes para secarem as suas terras que foram invadidas pela água do mar. Não é tarefa fácil para Vickie…


52. Na ilha dos dragões
Halvar e os seus homens zarparam em busca de uma ilha deserta no longínquo sul, onde se diz existirem preciosos tesouros com diamantes. A viagem torna-se para os Vikings uma grande aventura cheia de histórias para contar. Na viagem de regresso, Ulme escreve um poema sobre os acontecimentos, falando de dragões cuspidores de fogo e, evidentemente, de valentes e heróicos Vikings.


53. Halvar e o urso
Um urso esfomeado entrou na aldeia Viking e matou a vaca de Snorre. Logo agora que Ilva foi com Vickie e Ylvi para a floresta colher amores – estão em grande perigo. Halvar decide entrar sozinho na floresta para caçar o urso, pensando que dará facilmente conta de um só urso…


54. O Halvar tem papeira
Vickie tem papeira e Halvar acha que está exageradamente abatido e mimado. Quando Halvar também apanha a doença, tem de se mostrar valente. Esconde a doença e tenta tratar-se a si próprio…


55. Quem semeia ventos…
Halvar quer reformar Urobe por considerar que já vai avançado na idade. Mas antes de poder aplicar esta decisão, Sven, o Terrível, tenta enganar os Vikings. A experiência de Urobe salva a aldeia. Os Vikings estão mesmo contentes por terem Urobe a seu lado e por poderem contar com os seus conselhos…


56. Vickie e o cavalo
Um dia, Halvar encontra um comerciante de cavalos e compra-lhe um cavalo para oferecer a Vickie. É preciso bastante tempo até Vickie e o cavalo se tornarem bons amigos e ganharem coragem para a primeira grande cavalgada. Mas Vickie regressará sozinho, já que concede a liberdade ao seu novo amigo.


57. A rapariga da ilha dos pássaros
Quando navegam num pequeno barco, Vickie e Ylvi são surpreendidos por uma violenta tempestade e são lançados para o alto mar. Acabam por ir dar a uma pequena ilha isolada, onde vive uma rapariguinha que vê com desconfiança e animosidade a presença das crianças Viking. Só quando Vickie a defende do ataque de uma perigosa águia é que a rapariga se mostra disposta a mostrar-lhes o caminho de regresso a Flake.


58. Vickie e o lobo
Vickie é perseguido por um lobo e consegue salvar-se a custo, subindo a uma árvore. Desesperado, grita por socorro. Mas Vickie mal consegue acreditar quando Halvar aparece: o pai não o ajuda, segue em frente e deixa Vickie sozinho, sentado no ramo da árvore…


59. O Baltac está em apuros
Olaf comunica a notícia de que a aldeia de Schlack foi assaltada e que Baltac caiu numa armadilha. Desesperado, pede ajuda aos Vikings. Estes obrigam-no a repetir o pedido durante muito tempo e em atitude magnânime, mas acabam por partir em direção a Schlack. Têm de superar muitas dificuldades e parecem duvidar de que seja possível chegarem a tempo…


60. A princesa de Parlis
Os Vikings ancoraram numa grande cidade portuária árabe e passam o seu tempo – muito impressionados – no estranho mercado da cidade. Vickie encontra por acaso uma pequena rapariga que pede a sua proteção. Toda a história lhe parece muito estranha. Quando finalmente se revela que esta rapariga é, nem mais nem menos, a princesa do país que está fugida do castelo e tem toda a razão para temer grandes dificuldades para o lado dos Vikings…


61. Dois casmurros
Durante a viagem até ao reino de Kamtscha, os Vikings têm de fazer uma pausa forçada. Não conseguem passar uma pequena ponte pela qual as tribos Kunju e Puula lutam amargamente há anos. Precisamente no momento em que a querem atravessar, está a ocorrer uma violenta batalha. Os Vikings tentam escapar à batalha, para assim poderem continuar a subir o rio…


62. Fantasmas com problemas
Avista-se uma ilha com um castelo e os Vikings querem saltar de imediato para terra. Mas alguma coisa parece não bater certo e não tardam a perceber que se encontram numa ilha fantasma. Ainda assim, querem ali passar a noite – e os fantasmas não tardam a aparecer…


63. Somos Vikings de verdade
Os Vikings têm a intenção de atacar mais um castelo. Mas, inesperadamente, vêem-se no meio de um baile de máscaras e querem atribuir-lhes o primeiro prémio para melhor disfarce. Halvar e os seus homens não ficam nada contentes por serem encarados como participantes mascarados do baile. Através de uma intriga na corte real, têm finalmente a possibilidade de provar que são Vikings a sério…


64. A premonição
Snorre tenta por todos os meios impedir os Vikings de efetuar a viagem planeada. Teve um sonho horrível e faz uma profecia terrível: vai acontecer alguma coisa má e nenhum Viking vai sobreviver para regressar a Flake. Quando os Vikings são apanhados numa violenta tempestade e recolhem uma misteriosa arca de um navio naufragado, parece mesmo que a profecia de Snorre se vai concretizar…


65. O Vickie ganha o jogo
Os Vikings estão há muito tempo em viagem a caminho de uma cidade na longínqua Rússia para aí comprarem peles. No entanto, quando lá chegam, não recebem a autorização necessária para fazerem os seus negócios, a menos que um deles enfrente o rei num jogo de xadrez. Infelizmente, nenhum dos Vikings conhece o jogo. Por ordem do rei, todos deverão abandonar o país, à exceção de Ulme, cujos dotes para a poesia entusiasmaram o rei. É novamente Vickie quem salva a situação: aprendendo a jogar xadrez…


66. Viagem com obstáculos
De regresso a Flake, os Vikings são apanhados numa emboscada: um rei exige-lhes o pagamento de um tributo por pretenderem transportar o barco por terra através do seu país. Mas Vickie tem a ideia de ligar dois rios e de navegar pelo canal…


67. O duelo do Tjure e do Snorre
Os eternos rivais, Snorre e Tjure, decidem fazer um duelo. Em vão, as suas mulheres tentam dissuadi-los. Até Halvar receia que um dos dois possa perecer neste empreendimento. Será que Vickie terá alguma ideia para impedir a luta?…


68. Quem vai ser o novo chefe?
Em Flake, todos estão a pensar quem poderá suceder a Halvar como chefe dos Vikings. Esta situação não agrada nada a Halvar, pelo que tem a ideia de ceder a cada um dos homens o seu posto de chefe, alternadamente, durante três dias. E todos falham rotundamente…


69. O contador de histórias
A reputação de Halvar como homem duro cai por terra quando Huke, um trovador de histórias dramáticas, chega a Flake. Halvar fica tão sensibilizado com a história da pobre órfã Anna, que se desfaz em lágrimas. Infelizmente, Tjure e Snorre estavam lá para assistir…


70. O tesouro secreto
Halvar enterra na floresta uma parte do seu saque. Mas o esconderijo é descoberto, ou pelo menos Snorre encontra o mapa com o desenho de Halvar…


71. A guerra do queijo
Os Vikings pouparam durante anos para poderem comprar uma nova estátua para a praça principal de Flake. Mas as mulheres consideram que é um desperdício de dinheiro e querem comprar vacas com o dinheiro economizado. Assiste-se a um verdadeiro combate entre os homens de Flake e as duas mulheres…


72. Náufragos
De regresso a casa, vindos de África, os Vikings são apanhados num enorme remoinho de água que os leva e os deixa encalhados numa ilha. Um habitante recebe-os hospitaleiramente mas, quando querem voltar a casa, exige que lhe entreguem todo o saque como pagamento por os ajudar a atravessar o remoinho. Mas Vickie encontra uma alternativa para voltarem a casa…


73. Uma aposta por água abaixo
Baltac, chefe dos Vikings de Schlack, desvia a água dos habitantes de Flake e vive-se a ameaça de uma batalha entre as duas aldeias. Por sorte, Vickie tem uma ideia que não só evita o confronto, como promete grandes benefícios para todos os Vikings…


74. A brincadeira acabou
Tjure tem uma discussão com a mulher porque esta não quer cozinhar mais para ele. É então que tem uma ideia fantástica: convida todos os Vikings para jantar. Mas nem assim a mulher quer colaborar. Halvar e os homens decidem ajudar Tjure e, durante a noite, aparece à janela do seu quarto de dormir uma enorme boneca que lhe prega um susto de morte. A mulher de Tjure não tem evidentemente maneira de saber que é Snorre quem está dentro da boneca e promete voltar a ser uma boa mulher…


75. A sobrinha do Urobe
Nora, a sobrinha de Urobe, está de visita a Flake. Os Vikings estão encantados com a sua beleza e acham que se parece com uma princesa. Até Sven, o Terrível, que toma conhecimento da sua visita, pensa de imediato que está alojada em Flake uma verdadeira princesa e engendra um plano: pretende raptar a “princesa” e libertá-la apenas mediante um elevado resgate. O preço da libertação seria um navio cheio de ouro. Os Vikings parecem estar a cair no plano de Sven…


76. A festa em Hanka
Em Hanka, uma aldeia vizinha de Flake, realiza-se todos os anos uma grande festa. Todos os Vikings do Norte juntam-se por esta ocasião e cada um quer exibir o barco mais bonito de todos. Nesta altura, surge Sven, o Terrível, para destruir Halvar e o seu barco Viking. Agora os homens de Flake não podem participar na competição mas Vickie constrói um novo e grande navio em couro insuflável com água. Quando Sven, o Terrível, também o rouba, correm novamente a recuperá-lo e, é claro, acabam por ganhar o concurso.


77. O ouro da Dinamarca
Vai haver guerra entre a Dinamarca e a Suécia. Um mensageiro pede a Halvar que ajude os Dinamarqueses e oferece-lhe como pagamento um saco de moedas de ouro. Mas os Vikings acabaram de regressar de uma grande batalha e estão cansados. Depois de muitas diligências, os Vikings acabam por acorrer em auxílio dos Dinamarqueses…


78. A espada dourada
O Príncipe de Aoloson está a caminho de uma ilha em frente à Islândia para ir buscar a espada de ouro que o coroará como rei. Mas também ele falha, à semelhança dos seus irmãos antes dele, e o seu país parece estar perdido. Halvar e os seus homens prometem trazer a espada ao Príncipe. Mas, na verdade, secretamente, os Vikings querem ficar com a espada para si e tornarem-se eles os senhores do reino. Quando já se encontravam a caminho da Islândia, Vickie fica a saber que a posse da espada pode trazer grandes perigos…

Vickie, o Viking baseia-se em livros da autoria do sueco Runer Jonsson (1919-2006). O primeiro livro, intitulado Vicke Viking, foi publicado em 1963 e obteve, na Alemanha, o primeiro prémio do livro juvenil.

Runer Jonsson com a sua obra
Edição portuguesa de 1975

A série animada, uma co-produção entre o Japão, a Alemanha e a Áustria, foi realizada em 1974.

Os bonecos da série assemelham-se bastante às ilustrações dos livros, feitas pelo também sueco Ewert Karlsson (1918-2004).

Foi o primeiro grande clássico da animação japonesa com exibição na RTP, entre 1974 e 1976, na versão em alemão, com legendas.

Era exibida em dois horários: ao início da tarde, na RTP 1, e às 20:00, na abertura da RTP 2.

Nessa altura, foram lançadas diversas coleções de livros, bem como uma caderneta de cromos.

Nestas publicações, são diversas as grafias que se encontram para o nome do protagonista: Wickie, Vickie, Vicky e até Vikie.

Numa coleção da editora Família 2000, o nome inicial era Vikie, corrigido para Vickie após o segundo número. Contudo, a palavra “viking” foi também alterada – erradamente – para “vicking”…

Foi ainda comercializada uma coleção de bonecos em PVC.

A versão portuguesa do tema do genérico foi lançada em single, nas versões original e pirata.

Nos anos 90, a TVI transmitiu a série em duas versões: dobrada em espanhol (com legendas) e dobrada em português.

Já nos anos 2000, passou novamente na RTP, com uma outra dobragem, executada pelos estúdios Somnorte.

Nesta versão, os primeiros 26 episódios foram remasterizados e tiveram o genérico e o título do episódio renovados.

Título do 1.º episódio na versão "original"...
... e na versão "renovada"

A Prisvídeo lançou os primeiros episódios em 6 DVDs. Nos primeiros cinco, é possível optar entre a dobragem antiga (“versão original”) e a mais recente (“versão renovada”), à exceção do 2.º episódio, para o qual não existe a dobragem antiga.

Uma diferença imediatamente percetível entre as duas dobragens é a forma como se pronuncia o nome da aldeia dos Vikings. Enquanto que, na primeira versão, se pronunciava com “a” aberto (Fláke), na versão mais recente foi pronunciada como se fosse de origem inglesa (Fleike).

A fictícia aldeia de Flake, se existisse, ficaria situada em frente à ilha de Öland, a segunda maior ilha da Suécia, conhecida pelos seus moinhos.

Flake

Por seu lado, a Planeta DeAgostini colocou no mercado a série completa, com a dobragem da RTP, numa coleção de 39 DVDs, com 2 episódios cada.

Juntamente com a série, foi produzido um filme de hora e meia, que em Portugal foi lançado pela extinta editora New Age.

Em 2004, a banda sonora original, composta por Christian Bruhn e Karel Svoboda, saiu em CD na Alemanha. Existiram duas capas distintas para esta edição, uma delas com o “verdadeiro” Vickie.

Vickie, o Viking foi adaptado, na Alemanha, para dois filmes de imagem real: As Aventuras de Vickie (2009) e Vickie e o Tesouro dos Deuses (2011).

Em 2013, surge uma nova série animada, produzida em 3D, com o mesmo número de episódios (78), mas de duração inferior (10 minutos).

Partilhar:

Vickie, o Viking